SCP-437-FR
avaliação: +4+x
blank.png

Objeto # : SCP-437-FR

Nível de Ameaça : Laranja

Classe : Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-437-FR deve ser confinado em uma cela de contenção para humanoide à prova de som, equipada de uma eclusa de ar anecóica. O sistema de vigilância por vídeo direto não pode incluir áudio.
Os registros de áudio estão disponíveis a estudos pelos funcionários que possuem uma creditação de Nível 3. No entanto, a escuta dos tais gravações é proibida.

Toda pessoa entrando em contato com SCP-437-FR deve ser equipada com fones de ouvido anti-ruído e nenhuma tentativa de conversação oral com a entidade não deve ser feita. Em caso de desvio do protocolo, a pessoa deverá receber um amnésico de Classe A. Uma mesma pessoa não deve entrar em contato com SCP-437-FR mais de vinte e cinco (25) vezes (ver o Incidente 437-FR-1). Uma mutação sobre um outro arquivo, incluindo mesmo um rebaixamento, poderá ser empregada à aproximação dos vinte e cinco (25) encontros.

As conversas e entrevistas com SCP-437-FR devem ser previamente autorizadas por um pesquisador de Nível 3. Elas se fazem à escrita, folhas de papel e um lápis devem estar disponíveis a todo momento na cela de contenção. Um estudo da conversa durante essas entrevistas deve ser feito a fim de verificar a estabilidade psicológica de SCP-437-FR.

SCP-437 deve ser alimentado três (3) vezes por dia, às 8h, 13h e 19h. Os contatos com a entidade devem ser limitados ao estritamente necessário durante a entrega das refeições. Deve-se verificar se SCP-437-FR se alimenta corretamente. Um lanche lhe pode ser oferecido em caso de boa conduta.

Descrição : SCP-437-FR é um humanoide do sexo masculino medindo 1m e 43, pesando 37 kg e com idade de 13 anos, nomeado de James Coy. SCP-437-FR é vestido por um uniforme escolar típico de um aluno da middle school1, mais exatamente aquele da Parkfields Middle School, na Inglaterra. Ele possui olhos cinzas e cabelos castanhos curtos.

SCP-437-FR é capaz de se expressar por um inglês escrito de nível equivalente à média base para sua idade. Seu nível à oral fica ainda a determinar.

Quando um indivíduo capaz de compreender inglês ouve SCP-437-FR falar, a ideia lhe virá de que ele tem uma outra tarefa, considerada como "mais importante" a efetuar. Em média, bastam cinco (5) segundos para que essa ideia incite a entidade a encurtar uma conversa com SCP-437-FR, os efeitos podem igualmente se desencadear via uma gravação de sua voz.
Essa situação provoca uma leve angústia psicológica em SCP-437-FR, que, eventualmente, mostra os sinais nascentes de retraimento social.

Uma exposição prolongada à voz de SCP-437-FR provoca uma versão acentuada desses efeitos, onde torna-se impossível para uma pessoa de ficar concentrada em uma tarefa dada, alienada pela ideia de que ela tem outra coisa a fazer, sem ser capaz de identificar qual é essa coisa. Demonstrou-se que esse feito se desencadeia em caso de escuta atenta à voz de SCP-437-FR durante um total de 140 segundos.2.
SCP-437-FR é, por si só, imune contra os efeitos de sua anomalia.

Demonstrou-se que os amnésicos permitem atenuar o efeito principal, fazendo esquecer a escuta da voz e a ideia de uma tarefa sobre a qual a pessoa afetada queria redigir-se. No entanto, eles não mostraram nenhum efeito acerca de atraso do desencadeamento do segundo efeito, nem acerca de uma qualquer anulação desse efeito.

SCP-437-FR foi descoberto em ██/03/1994, na sua escola, enquanto que a maioria de seus professores e colegas de classe encontravam-se de repente ausentes e apenas voltavam bem raramente, durante períodos curtos. Devido às suspeitas à sua volta ligadas às circunstâncias anteriores de sua descoberta (incluindo a participação de sua mãe ao concerto descrito em SCP-3933, durante sua gravidez), ele foi rapidamente isolado e contido.

Relatório do Interrogatório 437-FR-1 :

Relatório do Interrogatório 437-FR-2 :

Relatório do Interrogatório 437-FR-3 :

Incidente 437-FR-1 :
Devido às ausências repetidas por parte da Doutora Kellina, foi descoberto que ela havia sido fortemente afetada de forma prolongada pela anomalia de SCP-437-FR, por causa notável da qualidade reduzida de seus fones de ouvido antirruído, desgastado pelos numerosos usos.
Uma combinação de amnésicos e agentes miméticos lhe foram administrados, permitindo um curto interrogatório com a doutora, que revelou uma relação de confiança entre ela e SCP-437-FR, relação que terminou por ser tranquilizante para este último.
Determinou-se por seu histórico que essas ausências começaram a partir de sua vigésima oitava (28º) lacuna com o protocolo ligado às entrevistas com SCP-437-FR.

A Dra Kellina foi oficialmente transferida a outro sítio. SCP-437-FR foi alertado desse fato, sem a possibilidade de saber sua localização.

Ao anúncio da partida da doutora, SCP-437-FR se fechou em si mesmo, recusando responder de maneira alguma o que quer que seja às perguntas que lhe foram postas. O estudo das gravações de audio permite no entanto descobrir dados similares àqueles de uma criança chorando.
É difícl determinar se SCP-437-FR é consciente do impacto que ele teve sobre a saída da Dra Kellina ou se ele sente culpa acerca desse tópico, mesmo que seu silêncio total relacionado a suas ações nos diversos regristos de vídeo tendem a mostrar que ele foi fortemente afetado pelos eventos.
SCP-437-FR está começando a mostrar sinais típicos de uma depressão severa, tais como falta de apetite, hipersónia e desinteresse perante sua situação.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License