SCP-5155
avaliação: +1+x

2/5155 NÍVEL 2/5155

CONFIDENCIAL

classified-lv2.png

Item nº: SCP-5155

Classe do Objeto: Euclídeo


gilmers.jpg

SCP-5155.

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-5155 deve ser mantido e cuidado na reserva da natureza no Sítio-5155. Webcrawler Kappa-82 (“GILMER GIRL”) deve ser programado para automaticamente expurgar qualquer registro público de atividade anormal instigada por SCP-5155

Descrição: SCP-5155 refere a uma anomalia caracterizada pela essência deslocada extrafísica da Família Gilmer, sua casa suburbana em Nevada, e 8,6 toneladas de abobrinha italiana aparentemente irrelevante. Todos os elementos deslocados ainda mantém as qualidades essenciais extrafísicas que eles possuíam no tempo de seu deslocamento em 15 de Maio de 1955; no entanto, desde o deslocamento, todos os elementos deslocados agora fisicamente interagem com a realidade (patamar) como uma horda de vinte-e-dois veados-mula (Odocoileus hemionus). A natureza dessa interação em um estado fluido entre literal e figurativo, e consequentemente é complicado prever quando ou como SCP-5155 pode viajar do Patamar.

A Família Gilmer consiste dos pais Rhonda (29 anos) e Edward (33 anos), crianças Suzie (6 anos) e Brisbane (10 anos), e seu pet Border Collie Sassafras (idade desconhecida). Desde 13/03/2020, Brisbane é a única da família que possui completa percepção do deslocamento da família e da passagem do tempo; no entanto, todos os membros da família reconhecem a presença de uma quantidade irregular de abobrinha. Tentativas de interagir com a família não foram bem sucedidas e ocasionalmente traumáticas. Cada membro da família se tornou menos e menos estável com o passar do tempo, mesmo que em níveis diferentes.

Os vinte-e-dois veados-mula no qual SCP-5155 fisicamente interage com o Patamar não possuem autonomia corporal aparente; no entanto, neuroimagiologias sugerem que os animais ainda retém suas essências extrafísicas originais (sobrepostas com aquelas de SCP-5155) e a habilidade de sentir dor. Apesar de décadas de esforço, nenhum método foi encontrado para humanamente terminar os animais sem ameaçar a Família Gilmer.


Registro de Observação:

Pós declaração: Transcrição de filmagem gravada em 13 de Março de 2020, 12:32.

[INÍCIO DE REGISTRO]

(Veado 16 deita de bruços com seus membros se estendendo além do alcance normal de sua espécie.)

Brisbane: Deus. Deus. Jesus. Jesus. Jesus. Venha do paraíso. Venha do paraíso. Jesus. Jesus.

(Veado 21 se arremessa contra a cabeça de Veado 09, causando Veado 09 a revolver setenta graus na direção oposta em um eixo paralelo ao chão e levemente atrás de suas nádegas.)

Rhonda: Brizzie, querida, poderia gentilmente abaixar seu tom? Mamãe está tentando preparar comida.

(Os membros de Veado 16 se estendem mais. Um som de estralo é ouvido.)

Brisbane: É hora do almoço. Estou tentando ressuscitar Deus. Como consegue me ouvir da cozinha se meu quarto é no outro andar?

(Veado 21 bruscamente atravessa o chão, desaparecendo de vista. A ponta de uma orelha pode ser vista na barriga de Veado 16 momentos depois.)

Rhonda: Brisbane Eurydice Gilmer, eu realmente não aprecio sua atitude desrespeitosa. Já é difícil o suficiente preparar uma comida quente com todos esses malditos pepinos em todo lugar!

(Veado 07 e Veado 19 são lançados para cima e fora de visão.)

Rhonda: Chrysler Imperial! Lá vão eles de novo.

(//Veado 09 gira outros oitenta graus em seu eixo antes mencionado. A cabeça de Veado 21 emerge completamente do estômago de Veado 16. O pelo em ambos os animais se molha com sangue nas bordas onde seus corpos se intersectam. //)
Rhonda: Você está em trabalho de pepino. Eu preciso de espaço.

(Sassafras pode ser ouvido latindo na distância.)

Rhonda: Eles estão voltando. Não deixe eles te machucar.

(Veado 21 e veado 19 ambos afundam no chão. Veado 04 e Veado 05 emergem do arvoredo, seus movimentos estão perfeitamente sincronizados. Veado 15 está suspenso diretamente acima de Veado 04, seus cascos caindo no nível das orelhas de Veado 04.)

Suzie: Qual deles é você?

Edward: Sou o que estiver mais perto. Roar!

(A risada de Suzie pode ser ouvida.)

Suzie: Qual deles sou eu?

Edward: Você é o pepininho mais fofo. Eu nunca vou me arrepender.

(Veado 04 e Veado 14 crescem do chão e voam sem peso como se carregados por uma brisa, tropeçando levemente porém permanecendo paralelos. Seu caminho e o deslocamento físico de Veado 15 junto de seu eixo vertical permanecem não afetados por esse desenvolvimento.)

Brisbane: Deus. Jesus. Deus.

(O rosto de Veado 01 emerge da copa da árvore, com aproximadamente 4,6 metros de altura.)

Edward: Como está minha pequena teóloga, então?

(Brisbane grita. Uma figura presumida ser Veado 22 viaja pelo céu seis vezes em sucessão rápida, sempre na mesma direção.)

Edward: Pergunta surpresa. Quando humanos morres, eles vão para o céu ou para o inferno.

(A boca de Veado 01 se abre. Veados 16, 09, e 03 lentamente crescem de sua boca. Sassafras pode ser ouvido chorando na distância.)

Edward: Para onde vai Deus quando ele morre?

(Brisbane grita. Veados 16, 09, e 03 estão engolidos por fogo.)

Rhonda: O jantar está pronto, querido.

[FIM DE REGISTRO]


Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License