SCP-5350
avaliação: +1+x

Item nº: SCP-5350

Classe do Objeto: Keter

Procedimentos Especiais de Contenção: Uma campanha publicitária internacional deve ser lançada defendendo o consumo de produtos à base de plantas e desprezando o consumo de carne. Vacinações nas formas de vacinas contra a gripe aprimoradas taumaturgicamente e agentes meméticos que reduzem o desejo de comer carne devem ser distribuídas entre a população global. Aqueles infectados com SCP-5350 devem ser colocados em quarentena permanente, até que o indivíduo tenha expirado ou se recuperado.

A FTM Beta-7 "Maz-Hatters" é responsável pela limpeza e eliminação de animais infectados com SCP-5350. Animais infectados devem ser neutralizados e ter seus restos cremados. A tecnologia Gen+ e Gen++ deve ser usada para destruir e recriar sistematicamente porções da biosfera, editando ligeiramente o genoma de espécies recriadas para serem imunes a SCP-5350. uma amostra de SCP-5350 deve ser retida no Sítio-14, uma instalação de pesquisa dedicada a doenças anômalas.

iRKiIbT.png

Panfleto informativo que foi amplamente distribuído pela OMP e pela CCDA (Centro de Controle de Doenças Anômalas). Expand image.

Descrição: SCP-5350 é um patógeno alterado taumaturgicamente derivado do vírus influenza, que cresce espontaneamente um olho totalmente funcional (SCP-5350-A) em contato com tecidos de mamíferos. Esses olhos são muitas vezes não humanos na aparência física e podem exibir biologia conflitante com o hospedeiro. SCP-5350-A são preenchidos com uma solução aquosa contendo mais SCP-5350; os olhos facilmente estouram, propagando ainda mais a disseminação de SCP-5350. Assim, infecções iniciais de alta densidade em corpos humanos ocorrem em área frequentemente sujeitas a atrito ou contato prologando com objetos, como as palmas, costas, virilha ou as solas dos pés.

SCP-5350 é fraco a temperaturas extremas e dura apenas 30 minutos fora de um hospedeiro antes de expirar. A infecção de SCP-5350 foi correlacionada com um alto grau de certeza a uma dieta à base de carne.

Devido ao grande consumo de carne contaminada com SCP-5350 antes que a Fundação estivesse totalmente ciente da anomalia, uma porção significativa da população foi infectada pelos termos coloquiais "Gripe do Olho," ou "Oculoma". Sintomas podem incluir: dor de garganta, úlceras, dor de estômago, diarreia com olhos, pouco ou nenhum apetite e dificuldade para respirar. Não há cura conhecida para SCP-5350, apenas medidas preventivas. Tratamentos podem neutralizar a propagação de uma infecção SCP-5350 em seus estágios iniciais, mas mesmo quando SCP-5350 deixa de ser virulento, os olhos ficam revestidos com uma quitina dura e translúcida, permanecendo totalmente funcionais mas tornando excisão do tecido circundante quase impossível.

A maioria dos pacientes não tratados morre por asfixia devido ao acúmulo de SCP-5350-A nos pulmões, e pacientes infectados por mais de seis meses invariavelmente ficam cobertos por SCP-5350-A. Pessoas infectadas raramente sobrevivem mais de um ano sem tratamento, e aqueles que se recuperam estão sujeitos a traumas emocionais extremos devido à dismorfia corporal e discriminação. Uma ação conjunta entre a Fundação, a Organização Mundial da Parasaúde (OMP), a Fundação Caridosa Manna (FCM) e a Unidade de Incidentes Incomuns (UIU) foi organizada para impedir a disseminação de SCP-5350.

Adendo 5350/1: Documentação arquivada da reação online de civis a SCP-5350.

Gravação do Projeto Escopofobia:

Adendo 5350/2: Graças aos esforços das organizações envolvidas no esforço, a disseminação de SCP-5350 foi drasticamente reduzida. De 2026-2030, a quantidade de indivíduos infectados diminuiu de 1,3 bilhão para menos de 500 milhões. Projeções estimam que SCP-5350 cessará de ser uma epidemia em 2034. A erradicação completa, entretanto, é inviável no momento.

Documentação Recuperada: Um pedaço de papel foi encontrado no frigorífico de onde SCP-5350 foi originado. Análises correspondem à caligrafia de Emilia Roberts.

Quem somos nós, para cometer genocídio constante contra nossos parentes de quatro patas?

Quem somos nós para determinar o que é sapiente ou não com base em uma análise superficial?

Quem somos nós para determinar que a vida de um cachorro vale mais do que a de um porco?

Com animais, há mais do que aparenta.

Já Somos Maneiros?

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License