SCP-5525
avaliação: +1+x

Item nº: SCP-5525

Classe do Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais de Contenção: Em concordância com a Resolução 206 da Coalizão Oculta Global (GOC) e com o Mandato Overseer BINGO FREMONT, a Fundação é responsável por manter o bloqueio subaquático em torno de SCP-5525. A aplicação do bloqueio é atribuída à Força-Tarefa Naval Chi-11 ("Pesadelo de Netuno"), consistindo de 12 submarinos classe-Cerberus1 e dos navios de suporte SCPS Salto Lunático e SCPS Tracejado Ousado, com suporte de fogo adicional dos navios de combate de superfície da GOC Mão de Ferro e Punho de Prata. Chi-11 tem a tarefa de prevenir que outras embarcações, incluindo da Fundação ou de Grupos de Interesse aliados, se aproximem dentro de quinze milhas náuticas do perímetro externo de SCP-5525. Chi-11 está autorizada a utilizar toda a força necessária para dissuadir, interditar ou destruir embarcações tentando entrar ou sair desta zona de contenção.

Quaisquer modificações aos parâmetros do bloqueio em torno de SCP-5525, além daqueles relacionados à composição da força, requerem aprovação do Conselho 108 da GOC e do Conselho Overseer da Fundação. Em situações de emergência, modificações provisórias podem ser aprovadas por uma ordem emitida em conjunto pelo Diretor Assistente "Telemachus" e O5-03.

No momento, o Escritório do Subsecretário-Geral da Coalizão Oculta Global está envolvido em conversas diplomáticas com representantes do Governo dos Estados Unidos em uma tentativa de negociar o retorno de todos os artefatos removidos de SCP-5525 antes do estabelecimento dos procedimentos atuais de contenção.

Descrição: SCP-5525 é as ruínas e os restos de uma cidade construída há aproximadamente 6000 anos por uma espécie de hominídeos alternativos (provisoriamente classificados como Homo sapiens aquarius, designação de palavra-código DISCO AQUARIANO). Os DISCO AQUARIANO possuíam uma civilização fortemente insular, mas cientificamente avançada, com tecnologias muito além das tecnologias de ponta humanas atuais. Sabe-se que um ou mais itens de paratecnologia empregados pelos DISCO AQUARIANO são responsáveis pela destruição de sua civilização e pelo transporte de SCP-5525 para o fundo do Oceano Atlântico. Apesar de sua localização atual, grandes seções da estrutura permanecem herméticas e capazes de suportar vida humana.

Informações adicionais sobre a cultura e a tecnologia dos DISCO AQUARIANO são confidenciais, nível L5/5525.

Em 1944, SCP-5525 foi descoberto pelo submarino USS Dragonet durante seu cruzeiro inicial de abalo. Na época, os marinheiros abordo do Dragonet registraram por engano a estrutura como uma formação subaquática natural no diário de bordo do navio. Um exame posterior dos registros do submarino por oficiais da inteligência naval descobriu inconsistências entre as observações relatadas e os dados registrados, o que levou a uma missão para examinar a área mais de perto usando uma traineira de superfície. Leituras de sonar realizadas por essa traineira revelaram a extensão de SCP-5525 e confirmaram que SCP-5525 não era uma estrutura natural; outras operações envolvendo SCP-5525 foram transferidas para o Comando de Guerra Paranatural do Departamento de Defesa2 e todas as informações relacionadas à estrutura foram tornadas confidenciais.

O Pentagrama realizou um número de sondagens de SCP-5525 no período entre 1944 e 1963, embora não tenham sido feitas tentativas para explorar o interior da estrutura, devido à sua extrema profundida. Em 1963, foi feita uma tentativa de alcançar SCP-5525 pelo USS Thresher, resultando na perda do submarino com toda a tripulação. Depois disso, nenhuma outra tentativa foi feita para explorar SCP-5525 até 1979.

Em 1979, o Pentagrama tomou posse do DSRV-3 Merlin, um submarino do mar profundo equipado com numerosas paratecnologias que lhe permitiriam operar de forma segura e secreta em profundidades extremas, incluindo a de SCP-5525. Seguindo operações iniciais onde ele foi utilizado para escavar vários destroços da Sétima Guerra Oculta, Merlin recebeu o novo uso de explorar SCP-5525. Merlin conseguiu chegar à estrutura e obter acesso, quando o Pentagrama começou uma grande operação arqueológica destinada a encontrar e recuperar quaisquer artefatos funcionais restantes. Com base no que se sabe da tecnologia dos DISCO AQUARIANO, quaisquer objetos recuperados pelo Pentagrama seriam provavelmente considerados artefatos de classe-Thaumiel se possuídos pela Fundação3.

A Fundação e a Coalizão Oculta Global tomaram conhecimento de SCP-5525 e das atividades do Pentagrama após a destruição de São Jeremias4, que resultou na ativação inadvertida de um artefato DISCO AQUARIANO durante uma tentativa de removê-lo da estrutura. Em sessões de emergência simultâneas, o Conselho Overseer e o Conselho 108 ambos concordaram com a necessidade de impedir o acesso a SCP-5525 e a desejabilidade de recuperar os artefatos que já foram removidos dele. Trabalhando através dos canais providenciados pelo Artigo 13 do Acordo de Köln, a Fundação e a GOC rapidamente estabeleceram um conjunto de protocolos conjuntos de contenção, cabendo à Fundação a responsabilidade pelo bloqueio de SCP-5525. Os recursos navais próximos5 foram imediatamente retraídos para realizar a contenção inicial enquanto uma força-tarefa dedicada era montada.

Adendo — Exploração Inicial: Após a destruição de São Jeremias, mas antes do estabelecimento da zona de contenção, forças americanas temporariamente retiraram-se de SCP-5525 para monitorar a estrutura quanto a possíveis tremores secundários. Apesar dos riscos potenciais, foi concedida autorização para uma única missão de reconhecimento para explorar o interior da estrutura antes que ela pudesse ser reocupada pelos Estados Unidos. A Força-Tarefa Móvel Gamma-6 ("Alimentadores da Profundeza") e Equipe de Avaliação 781 ("Pyramidions") foram enviadas para pesquisar SCP-5525 e determinar a extensão das atividades do Pentagrama. A maior parte do que se sabe atualmente sobre os DISCO AQUARIANO e sua cultura foi descoberta durante essa expedição.

Além de reunir informações valiosas sobre os DISCO AQUARIANO, a equipe de pesquisa descobriu que o Pentagrama havia localizado um arsenal ou depósito em um dos níveis mais baixos, que se tornara o foco das operações de recuperação. Essa porção de SCP-5525 sofreu danos estruturais moderados e sofreu um colapso parcial antes de ser descoberta, forçando o Pentagrama a dedicar tempo à escavação; quando a contenção foi estabelecida, apenas 20% do depósito havia sido descoberto, do qual vários artefatos ainda não haviam sido removidos. Documentos encontrados no local indicam que o Pentagrama havia priorizado recuperar os objetos que poderiam ser mais facilmente transformados em armas.

Entre os artefatos restantes estava a arma que acredita-se ter destruído São Jeremias, que foi classificada como SCP-5525-Antilhas. O Pentagrama encontrou SCP-5525-Antilhas enterrado nos escombros e conseguiu escavá-lo, mas acidentalmente o ativou enquanto tentava movê-lo. Uma inscrição no objeto, considerada um nome ou identificador, foi traduzida provisoriamente como "Divisor Nulo"6. Além dessa inscrição, a única outra característica externa significativa de SCP-5525-Antilhas é uma tela de toque que exibe um mapa detalhado da superfície da Terra7, que é usada para determinar o alvo do aparelho.

Adendo — Artefatos Removidos: Após o Incidente BAISEBOL INTERNO, o depósito onde SCP-5525-Antilhas foi encontrado foi totalmente escavado e um exame completo do conteúdo foi realizado. Após comparar os resultados com listas de inventário dentro do depósito, foi descoberto que os seguintes artefatos foram removidos de SCP-5525:

Nome Traduzido Palavra-Código Status
Divisor Nulo Antilhas Contido
Espelho Sem Tempo Bizantino Desconhecido
Colmeia Vazia Columbia Desconhecido
Escuridão Visível Domínio Desconhecido
Chama Sem Luz Exodo Desconhecido
Fornalha Do Vazio Fronteira Desconhecido
Frio Perfeito Geena Desconhecido
Poço Do Abismo Hibernia Desconhecido
Mente Morta Ichabod Desconhecido
Ponto Infinito Jericó Desconhecido
Número De Cristal Kronstadt Desconhecido
Lua Falsa Lorelei Desconhecido

Embora alguns desses artefatos possam ter sido perdidos ou destruídos, acredita-se que a maioria esteja atualmente sob custódia do Pentagrama. Esforços estão em andamento para localizar e recuperar esses artefatos desaparecidos.

Adendo — Incidente BEISEBOL INTERNO: Em 1979-12-30, logo após o envio da equipe de pesquisa, e enquanto a zona de contenção ainda estava sendo estabelecida, elementos da 13ª Frota dos EUA começaram a se aproximar de SCP-5525. Após repetidas diretivas para retornar terem sido ignoradas, a situação se transformou em uma batalha naval em grande escala.

T+0m: O navio líder da 13ª Frota, o destróier USS Thomas Lynch Jr., entra na zona de contenção de quinze milhas náuticas. O Capitão Redmond Hadaway, do Punho de Prata, ordena que seu navio abra fogo contra Thomas Lynch Jr.

T+1m: O USS Thomas Lynch Jr. e seus acompanhantes retornam fogo. O navio de combate de superfície da GOC Junta de Bronze começa a avançar para proteger SCPS Jack Jumped.

T+3m: SCPS Jack Jumped e SCPS Salto Lunático começam a liberar suas alas de aeronaves. Os dois navios transportam um total de 18 aeronaves V/STOL de asa fixa entre eles.

T+9m: Punho de Prata atinge diretamente a arma frontal do USS Thomas Lynch Jr., resultando em uma série de explosões internas catastróficas que fazem com que o destróier se quebre ao meio.

T+15m: Junta de Bronze completa seu deslocamento para proteger SCPS Jack Jumped.

T+29m: O submarino SCPS Comida de Peixe é atingido por uma carga de profundidade e afundado.

T+36m: Aeronaves do SCPS Salto Lunático conseguem desativar o cruzador USS Tempe.

T+43m: Uma salva de mísseis do cruzador USS Prados da Montanha destrói toda a ala de aeronaves do SCPS Salto Lunático. Salto Lunático começa a se retirar.

T+55m: Aeronaves do SCPS Jack Jumped liberam uma dispersão aérea de gás amnéstico sobre o USS Prados da Montanha, provocando confusão e caos geral que permitem ao Punho de Prata destruir a ponte e os motores do cruzador.

T+61m: Taumatologistas a bordo do Punho de Prata tentam transportar uma equipe de ataque para a ponte do navio-almirante da 13ª Frota, USS Carl Hayden. O trabalho é interrompido por psíquicos a bordo do Carl Hayden, e a reação resultante danifica os motores do Punho de Prata, colocando-o fora de ação.

T+73m: Toda a água dentro de quarenta e cinco pés do Punho de Prata se transforma em pudim de limão.

T+79m: Junta de Bronze perde sua bateria frontal. Capitão Thomas Griffith ordena que o navio se aproxime para o alcance das armas pequenas.

T+88m: A maior parte da equipe da ponte do Junta de Bronze, incluindo o Capitão Griffith, é morta por um psíquico do Pentagrama. O tenente Carter Hager assume comando do navio.

T+92m: Taumatologistas a bordo do Punho de Prata realizam uma segunda tentativa de aportar para o USS Carl Hayden, desta vez transportando com sucesso uma bolsa de granadas vivas para a ponte. A explosão resultante elimina os psíquicos de combate do Pentagrama.

T+96m: O submarino SCPS Surf Screen é atingido por uma carga de profundidade e desativado. O Capitão David Deford ordena um golpe de emergência no tanque de lastro, fazendo Surf Screen emergir diretamente abaixo do destróier USS William Williams. Ambos os navios afundam como resultado.

T+99m: Incêndios eclodem na sala de máquinas principal do Junta de Bronze, temporariamente desativando a propulsão.

T+105m: Incêndios a bordo do Junta de Bronze se espalham para a sala de máquinas auxiliar. O navio perde toda a propulsão restante.

T+112m: O Junta de Bronze começa a rapidamente afundar. Tenente Hager dá ordens para abandonar o navio.

T+127m: O Junta de Bronze é afundado. SCPS Jack Jumped começa a tomar fogo pesado.

T+135m: Acreditando que a batalha poderá em breve ser perdida caso contrário, o Capitão Winona Chevalier do SCPS Jack Jumped solicita permissão para ativar SCP-5525-Antilhas.

T+137m: À luz da situação tática em rápida deterioração, O5-03 autoriza unilateralmente a mobilização emergencial de SCP-5525-Antilhas para uso contra a 13º Frota dos EUA. Esta decisão será posteriormente confirmada por uma votação completa do Conselho Overseer após o incidente.

T+138m: A 13º Frota dos EUA cessa de existir.

Pelos próximos dois dias, o governo dos EUA, através da Unidade de Incidentes Incomuns, continuou a se comunicar com a Fundação e com a GOC através de canais regulares, ignorando perguntas sobre o incidente. Nenhuma mudança na postura estratégica americana foi observada, embora a Fundação tenha aumentado seus próprios níveis de alerta em todos os sítios norte americanos em preparação para um possível contra-ataque.

Em 1980-01-01, o Presidente James Carter emitiu uma comunicação à Fundação e à Coalizão Oculta Global, pedindo desculpas pelo Incidente BEISEBOL INTERNO e negando a existência da 13º Frota. Nenhuma menção foi feita desde então à destruição de São Jeremias, nem aos artefatos removidos de SCP-5525.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License