SCP-5811
avaliação: +2+x

Item nº: SCP-5811

Classe do Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais de Contenção: Instruções para SCP-5811 são restritas para funcionários Nível 4/5811.

Descrição: SCP-5811 é uma técnica para a remoção não cirúrgica do olho humano. O processo não é perigoso, e sujeitos submetidos a ele não sentem desconforto. Os olhos removidos podem então ser colocados em um novo meio de superfície, que experimentará deformações topográficas para formar uma cópia exata de uma órbita humana

Visão através do olho é mantida a todos os momentos.


Teste/5811.01: O olho esquerdo de D-WM145 é removido e colocado em uma mesa no centro da câmara de teste. Cobaia fica altamente desorientada, demonstrando dificuldades com movimento até reganhar compostura após um período de 11 minutos. Olho é devolvido na conclusão do teste.

Teste/5811.02: O olho esquerdo de D-WM146 é removido e colocado na atmosfera da câmara de teste. Estabilidade existe momentaneamente antes de correntes de ar dos movimentos da cobaia causarem rápida dissolução ocular. Visão é mantida. Foi determinado que SCP-5811 funciona em superfícies não-físicas.

Teste/5811.03: Olho esquerdo de D-WM147 é removido e colocado em uma lâmpada ligada na câmara, então na luz emitida de dita lâmpada. A colocação na lâmpada produz os resultados esperados de cegueira; os visuais da colocação na luz são descritos como sendo "gentis, mas ansiosos." O olho desaparece.

Teste/5811.04: Pesquisadora Alexandra Maxwell, supervisora reserva na Equipe de Pesquisa 5811, acidentalmente remove seu lobo pós-orbital enquanto sonâmbula. Ao relatar um incidente anômalo, as equipes de segurança são enviadas para seu quarto e recuperam o lobo, que é colocado em armazenamento criogênico.


Nota

Apelos da Pesquisadora A. Maxwell para remover o lobo do armazenamento foram rejeitados.


Teste/5811.05: Baseado nos resultados de Teste/5811.04, foi pedido que D-WM148 removesse seu próprio lobo pós-orbital. D-WM148 permanece imóvel por 13 segundos até vocalizar que ele "pôs no lugar errado." Tanto D-WM148 quanto o pesquisador Radoš C. Stanek, o supervisor de testes designado, ficaram inconscientes.

Funcionários médicos descobriram que os cérebros de ambas as cobaias estão em sono REM, demonstrando padrões neurológicos idênticos. Nenhum dos dois recuperou consciência.


Nota

Propostas anteriores para usar SCP-5811 como uma ferramenta auxiliar juntamente com SCP-3484 foram unanimemente rejeitadas.

Pesquisadora A. Maxwell foi nomeada como a nova supervisora de testes.


Teste/5811.06: Pesquisadora A. Maxwell desenha seis representações de um olho humano, cada um com diferentes graus de detalhe e abstração. Tentativas são feitas de remover cada desenho do papel e coloca-las na parede da câmara.

Tentativas foram bem-sucedidas.

Teste/5811.07: Teste/5811.06 foi repetido com:

  • Olhos fotografados
  • Olhos desenhados por outros funcionários
  • Formas desenhadas por funcionários seguindo instruções definidas; resultados visam assemelhar-se a olhos abstraídos, sem que a intenção seja declarada nas instruções

SCP-5811 sucede com as fotografias e com o primeiro conjunto de desenhos, mas falha com o segundo. A hipótese é de que a anomalia depende da intenção original para uma estrutura para qualifica-la como um "olho."

Teste/5811.08: SCP-5811 é realizado com sucesso em uma câmera de mão.

Teste/5811.09: SCP-5811 é realizado com sucesso em um telescópio refletor de 144mm.

Teste/5811.10: SCP-5811 é realizado com sucesso em uma cópia digital do filme O mágico de Oz. Os olhos de um personagem de fundo "Munchkin" foram arrancados da tela que estava reproduzindo o filme e separados dela pelo período de duração do filme, com o personagem monitorado quanto a qualquer anormalidade. Inicialmente, o personagem demonstra leve desorientação, mas segue o roteiro pelo restante de seu tempo na tela.

Os olhos desaparecem na conclusão do filme.

Ao repetir o filme, o personagem permanece sem olhos, e segue brevemente o roteiro até acenar para o elenco e se sentar longe dos eventos centrais, esticando a cabeça como se estivesse olhando para cima. O comportamento é consistente nas repetições subsequentes. Não há outros efeitos no filme.

Teste/5811.11: Todas as menções dos olhos da personagem Jordan Baker, presente em uma cópia do romance O Grande Gatsby, são simultaneamente removidas. O enredo não sofre mudanças, embora a personagem seja significativamente mais distante que o normal, frequentemente descrita olhando para o céu e, em um caso, segurando um telescópio não presente na história original. Sua última aparição é no Capitulo 7, onde ela abandona o elenco principal dizendo que ela "precisa de um tempo para pensar." A personagem está completamente desaparecida em todas as releituras subsequentes.

Teste/5811.12: D-W145, apesar de ter sido amnesticizada quanto às instruções exatas, realizou SCP-5811 em si mesma enquanto em sua câmara. Ela remove seu olho esquerdo e, baseado em gravações de segurança de sua mão "atravessando" sua cabeça, coloca-o dentro de seu espaço mental. A mesma ação é realizada com o olho direito. Pausando por um momento, ela vocaliza que "entende o quê está acontecendo agora," e desaparece.

A segurança não conseguiu localizar D-W146 dentro de ou nas proximidades da instalação de teste.

Teste/5811.13: Pesquisadora A. Maxwell grava a si mesma temporariamente auto-realizando SCP-5811. A gravação é então reproduzida em uma tela de computador dentro da câmara.

Todas as câmeras de segurança na câmara desativam simultaneamente.


Nota

Pesquisadora A. Maxwell foi detida.

Na filmagem perdida, equipes de segurança invadiram com sucesso a câmara, e dominaram Pesquisadora A. Maxwell antes que ela pudesse fazer mau uso de SCP-5811. Dentro da câmara haviam lentes de câmeras de segurança sem anomalia, desenhos de telescópios, e desenhos do lobo pós-orbital com graus variados de detalhes. A tela do computador havia desaparecido.

Pesquisadora A. Maxwell fracassou em dar qualquer explicação por suas ações. Nenhum método de interrogação memético deu resultados.

É por acordo de consenso do Conselho de Teste Seguro, do Conselho de Gestão de Funcionários, e do Conselho de Conduta dos Funcionários que a Pesquisadora A. Maxwell seja removida da pesquisa de SCP-5811 e transferida para trabalho não relacionado. Os Conselhos também concordam que a Pesquisadora A. Maxwell seja amnesticizada para remover todas as informações sobre instruções da anomalia, com seu ranque sendo rebaixado de Classe B para Classe C, efetivo imediatamente. Neste momento os Conselhos julgam remoção da Fundação desnecessária.

Pesquisadora Yasmin Kader foi nomeada como a nova supervisora de testes.


Adendo.5811.1: Descoberta

SCP-5811 foi descoberto seguindo o desaparecimento de Dra. Zenia Langley, irmã da Pesquisadora A. Maxwell, em 14/03/2035. Dra. Langley, que estava trabalhando no Observatório da Universidade de Tóquio Atacama, abruptamente inseriu comandos de posicionamento no telescópio independentemente das operações do observatório, e foi observada às 03:34 correndo dos dormitórios de funcionários para o telescópio de 6.5m TAO.

Pessoas investigando o interior do telescópio encontraram nenhum traço de Dra. Langley. Em seu quarto, as instruções para SCP-5811 haviam sido digitadas em um arquivo .txt, juntamente com uma mensagem dizendo "Eu pensei em uma saída, Alex. Vai dar certo." Pesquisadora A. Maxwell relatou não ter conhecimento prévio da ações de Dra. Langley.

O telescópio estava apontado para NGC-6543(A Nebulosa do Olho de Gato).

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License