SCP-592
avaliação: 0+x

Item nº: SCP-592

Classe do objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-592 deve estar contido na cela de pesquisa 1611-E o tempo todo, trancado em uma caixa de aço, no meio de um cubículo de contenção de vidro fosco. No meio do cubículo também estão uma mesa, dois (2) computadores, um scanner de computador de tamanho padrão, uma porta de conexão de rede interna e dois (2) pares de óculos de distorção visual, que devem ser usados ao entrar no cubículo, a fim de tornar SCP-592 ilegível. O primeiro computador serve como uma máquina de análise e o segundo como um firewall personalizado. Todos os dispositivos foram modificados com software e hardware especializados (consulte o Protocolo de Teste para obter mais detalhes) e a porta de rede foi protegida de modo que nenhum dispositivo além do firewall possa utilizá-la. É estritamente necessário que os computadores e o scanner sejam desligados e desconectados após experimentos e que sejam ligados apenas durante experimentos. As capas frontal e traseira de SCP-592 devem estar sempre cobertas com fita preta opaca.

A cela deve ser vigiada continuamente para garantir que SCP-592 não seja removido.

Descrição: SCP-592 é um grande livro de capa dura que não exibe características externas que possam ser consideradas anormais, mas que podem causar delírios, psicose, mudanças na saúde física e na aparência, ou mesmo ferimentos graves quando lido. O livro é intitulado "Crônicas do Século 20" e consiste em 450 páginas impressas coloridas. É relatado que o livro possui uma capa impressa (sem sobrecapa) com o título do livro, a editora e uma seleção de ilustrações de dentro do texto. A capa original é de um azul profundo. A lombada contém o título e o nome da editora e é deixada descoberta sem fita. A capa informa ao leitor que o livro foi publicado pela Interworld Press, ███████ St, Chicago, IL em 1996. Nenhuma empresa chamada Interworld Press já foi registrada nos Estados Unidos e a rua também não existe.

O texto é uma coleção de recortes de jornais e artigos curtos sobre grandes eventos de janeiro de 1900 a dezembro de 1995. Grande parte da primeira metade do texto concorda com eventos registrados, mas em algum ponto não depois de 15 de junho de 1956, uma data que os pesquisadores denominaram Ponto de Divergência (PdD), o texto começa a divergir da história conhecida. Essas divergências se tornam mais comuns e agudas quanto mais longe do PdD o texto estiver.

Indivíduos que leem o livro antes do PdD não relatam nenhum efeito prejudicial e geralmente comentam que o texto está bem escrito e parece ter sido muito bem pesquisado. Indivíduos lendo do livro após o PdD entendem a passagem lida como verdade aceita e negam veemente qualquer sugestão de que o texto esteja de fato incorreto. As alegações que sujeitos fazem são frequentemente de natureza perturbadora ou chocante. Também parece que um indivíduo que tenha lido as passagens de um certo ano consegue recontar eventos que são detalhadas em seções posteriores do livro.

Foi descoberto que aqueles que nasceram antes da data indicada pela passagem do teste e viveram no local do evento descrito ou próximo a ele podem construir experiências pessoais construídas em torno do evento e descrevê-las como fariam com qualquer outra memórias vívida. O indivíduo fará grandes esforços para defender a realidade de sua história, muitas vezes se tornando violento se for interrogado.

Exposição a SCP-592 pode alterar características físicas do sujeito para se conformar com os eventos da passagem que está sendo lida. Isso pode varias de pequenas mudanças na aparência ou na roupa até a aparição de ferimentos graves. Por exemplo, em um caso, uma cobaia (D-94920) desenvolveu uma cicatriz durante uma entrevista, afirmando que ele a "recebeu durante o [DADOS EXPURGADOS]". Sua viúva, ao ser apresentada à cicatriz, localizada em seu █████, se surpreendeu, afirmando que "não havia percebido [a cicatriz] antes".

Foi descoberto que uma vez que o indivíduo descobre que o mundo é inconsistente com suas memórias adquiridas, o mesmo começa a sentir que a realidade presente é uma ilusão, um sonho ou um engano, muitas vezes afirmando que forças malévolas ou governamentais estão trabalhando para manter a ilusão. Indivíduos que atingem esse estágio entram em uma psicose profunda e crônica. Todas as tentativas de tratar essa ilusão fracassam. Os efeitos exatos variam:

Data da passagem lida Efeitos
Antes do PdD Nenhum efeito nocivo a curto ou longo prazo
< 2 meses antes do PdD Curto prazo: confusão. Sem efeitos nocivos a longo prazo.
< 2 anos após o PdD Curto prazo: confusão. Longo prazo: transtorno mental leve, desenvolvimento de tiques, pesadelos, episódios leves de paranoia e ataques de pânico
< 10 anos após o PdD Curto prazo: confusão, episódios violentos. Longo prazo: forma-se um delírio profundamente enraizado levando à paranoia debilitante, psicose e transtornos do tipo esquizofrenia.
> 10 anos após o PdD, ou antes, se o sujeito formar uma "experiência pessoal" Curto prazo: confusão, episódios violentos. Longo prazo: psicose aguda e delírios. Agnosia debilitante. Se tornar retraído. Alta chance de comportamento suicida ou homicida. Risco grave de mudança física imediata, mas variável no sujeito.

SCP-592 foi recuperado durante uma operação antidrogas em agosto de 2006 na propriedade do Sr. [REDIGIDO], o líder de um grupo religioso controverso chamado de "Igreja da Verdadeira História". Apesar de estar em posse de SCP-592, acredita-se que o Sr. [Redigido] tenha iniciado a igreja para ganho financeiro, em vez de revelação. O proprietário pode ter sobrevivido à exposição de SCP-592 por quase dois anos devido ao seu uso desenfreado de drogas, que incluía metanfetamina, cocaína e uma série de opioides - embora saiba-se que psicodélicos, especialmente DMT, tenham sido usados e provavelmente interagido com os efeitos de SCP-592 mais do que os outros. [REDIGIDO] acreditava que seus delírios vinham de seu uso de drogas, mas observou que um ano após a exposição a SCP-592, ele se viu recorrendo às drogas com mais frequência para "se esconder da verdade". Preso e privado de seu alívio químico usual, o suspeito entrou em coma e morreu uma semana depois. As circunstâncias da aquisição levaram a propostas para testar SCP-592 em combinação com drogas psicodélicas (consulte a Proposta ████-█).

Adendo 592-a: As propriedades químicas de SCP-592 foram estudadas por Dr. Grayson e a equipe de Química Forense. Dr. Grayson relata que:

Amostras foram obtidas cortando pequenos quadrados de papel do livro, usando óculos de distorção. Os quadrados eram pequenos o suficiente para conter não mais do que uma palavra. Quadrados contendo porções de ilustrações eram cobertos com fita preta opaca assim que extraídos. Nossos resultados indicam que as propriedades químicas de SCP-592 diferem muito pouco de qualquer outra publicação colorida. O papel consiste principalmente em celulose de madeiras comuns, e as tintas preta e amarela são padrão. No entanto, verificou-se que alguns químicos usados nas tintas ciano e magenta, embora totalmente conhecidos pela ciência, não são normalmente usados na indústria. Um especialista em tintas e corantes comentou que os produtos químicos seriam um substituto inferior, mas aceitável, aos atualmente em uso, se certos elementos metálicos fossem muito mais escassos e, portanto, muito mais caros do que são hoje.

Protocolo de Teste:

SCP-592 não deve, sob nenhuma circunstância, ser lido por um humano, a menos que essa pessoa seja cobaia de um teste autorizado.

SCP-592 só deve ser analisado por computador, usando os sistemas fornecidos. O livro deve ser digitalizado por página usando o scanner fornecido. A imagem digitalizada é então enviada para a máquina de análise. O scanner e outros dispositivos são modificados de modo que possam ser usados com os óculos de distorção visual (Observação: pesquisadores devem passar no Curso de Treinamento 305-S: Braille Intermediário e o Curso de Treinamento 10-E: Uso de Software de Imageamento SCP antes de serem aprovados para testar SCP-592).

A máquina de análise é modificada de modo que não contenha nem suporte nenhum dispositivo de armazenamento gravável (permanente) não volátil, de modo que que ela nunca armazene uma cópia da imagem digitalizada que possa persistir além da fase de análise. A imagem é destruída da RAM do sistema assim que possível, por meio de rotinas padrão de segurança de deleção de memória.

O firewall está configurado para estudar pacotes que entram quanto às características de saída processadas corretamente e destrói o pacote se uma quantidade insuficiente de características for descoberta. Isso evita a transmissão de texto ou imagens que não tenham sido suficientemente ofuscados.

Como SCP-592 está cheio de ilustrações, há dois protocolos de análise:

Análise dos textos: A máquina de análise utiliza sistemas de Reconhecimento Óptico de Caracteres (ROC) para analisar o texto na imagem e, em seguida, destrói a imagem. O arquivo de texto é então passado por uma série de rotinas personalizadas de Processamento de Linguagem Natural (PLN) para resumir o texto. O arquivo de texto original é então destruído e o resumo enviado para a Intranet de segurança da Fundação.

As rotinas de PLN analisam a passagem usando métodos estatísticos que incorporam bancos de dados de diversas corporações inglesas, alguns detalhes de outros SCPs, uma cronologia correta de eventos extraída de diversos textos e uma rede referencial severamente limitada de outros registros de SCP-592. OBSERVAÇÃO: Esforços para aumentar o grau em que a análise faz referência a outros eventos resultou em um incidente no qual [DADOS EXPURGADOS], resultando em 3 pesquisadores sendo eutanasiados (consulte o Documento SCP-592-███).

O resumo é composto de forma a mitigar qualquer possibilidade de exposição ao verdadeiro material da passagem, mas ainda fornecendo detalhes analíticos úteis sobre o evento descrito. Um exemplo(SCP-592-RES090777-A):

Observação: Símbolos léxicos dos bancos de dados de origem são apresentados em maiúsculo.

Data: 7 de Setembro de 1977
Localização: Sul dos Estados Unidos (99% de certeza). Estados: █████████ (79%), █████ ████████ (11%), ou ███████ (9% de certeza)
Tipo: RECORTE DE JORNAL
Resumo:
A passagem descreve o CONFLITO HUMANO. O CONFLITO HUMANO é de natureza IDEOLÓGICA ou RELIGIOSA. A passagem parece (56%) ter um tom de LAMENTAÇÃO. A passagem contém os números 200, 1977 e 16. Uma relação ao EVENTO RES010777-C e EVENTO [REDIGIDO] é provável (78% de certeza).
É certo (98%) que a passagem contenha uma referência a SCP-███ e SCP-███.
Incidentes relacionados: Incidente 592-██: "Perda de um membro após exposição a um artigo de SCP-592 sobre guerra"

Análise das imagens: SCP-592 contém cerca de duzentas ilustrações. Elas são cortadas da imagem digitalizada como parte da rotina de ROC. A imagem é então submetida a uma série de transformações e convoluções de Fourier para obscurecer a saída resultante do reconhecimento humano ao mesmo tempo em que analisa sua estrutura e fornece um resumo de seu conteúdo por análise estatística. O registro da imagem original é então destruído. Um exemplo de relatório (SCP-592-IMG098):

Data: 1º de Abril de 1963
Localização: QUARTO desconhecido com MOBÍLIA OCIDENTAL.
Tipo: FOTOGRAFIA COLORIDA
Assunto:
A imagem contém duas (2) PESSOAS ADULTAS de pé, uma (1) CRIANÇA HUMANA sentada em uma CADEIRA ou BANCO e SCP-███. Com 100% de certeza, as PESSOAS da imagem deveriam ter TRAÇOS FACIAIS. Com 100% de certeza, as PESSOAS da imagem NÃO possuem TRAÇOS FACIAIS.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License