SCP-593
avaliação: 0+x
measles%20mouth.png

Manchas de Koplik na boca de um paciente de SCP-593

Item nº: SCP-593

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-593 deve ser armazenado sob precauções padrão de Biossegurança Nível 4 a todos os momentos. O uso de um traje para materiais perigosos com suprimento de oxigênio independente é obrigatório; a entrada e saída de qualquer laboratório que contenha amostras de SCP-593 deve incluir múltiplos banhos, bombardeio de raios ultravioleta, uma sala de vácuo e eclusas de ar eletronicamente protegidas e regularmente testadas. Indivíduos com suspeita de infecção por SCP-593 devem ser isolados da população geral sob protocolos BSL-4 imediatamente e mantidos em um ambiente escurecido até que os períodos máximos de infectividade e incubação tenham passado, geralmente um período de trinta dias. O tratamento médico de vítimas confirmadas de SCP-593 requer o seguimento de protocolos BSL-4 e a imediata incineração ou imersão em ácido de todos os materiais com os quais as vítimas tenham tido contato, junto com qualquer/todos os resíduos biológicos produzidos.

Descrição: SCP-593 é um paramixovírus do gênero Morbillivirus que exibe uma habilidade única de dano neurológico grave após o início dos sintomas primários. A maior parte de seu genoma é idêntico ao do vírus do sarampo, com uma porcentagem significativa do material genético aparentemente derivado do vírus rinderpest (também conhecido como 'vírus da peste bovina'). Sua taxa de contágio é igual à do sarampo- noventa por cento dos indivíduos sem imunidade que moram na mesma casa de um paciente com morbilivírus SCP-593 desenvolverão a infecção dentro de trinta dias. Os estágios iniciais da infecção são virtualmente idênticos aos do sarampo, começando com uma febre que pode chegar a 41° C. Manchas de Koplik aparecem nas mucosas bucal e lingual da vítima no início da infecção; ao contrário de infecções normais de sarampo, no entanto, as manchas permanecem visíveis por dois a três dias.

Alguns dias após a febre começar e a conjuntivite se instalar, o corpo da vítima é rapidamente coberto por uma erupção cutânea maculopapular eritematosa generalizada que se espalha da cabeça aos pés em menos de um dia. A sensibilidade ocular à luz também se instala por volta desse momento, e vítimas não confinadas em áreas escuras ou protegidas da luz podem sofrer consequências que podem ir até cegueira total. A erupção cutânea normalmente muda da cor vermelha para marrom escuro alguns dias após a erupção, momento em que as sequelas neurológicas invariavelmente começam.

A progressão dos sintomas começa com irritabilidade e comportamento errático que pode ser confundido com reações naturais a uma infecção desagradável e à situação de confinamento. No entanto, espasmos mioclônicos e convulsões rapidamente se seguem. Exames eletroencefalográficos das vítimas mostram disfunção cortical generalizada; análises físicas do cérebro das vítimas mostram o envolvimento de [DADOS EXPURGADOS] e gamaglobulina significativamente elevada. A verdadeira assinatura do morbilivírus SCP-593, entretanto, está em seus efeitos neurológicos permanentes. SCP-593 destrói completamente a parte do cérebro de suas vítimas que lida com os conceitos de números e matemática. Vítimas sobreviventes literalmente não conseguem distinguir entre 'dois' e 'milhões' ou realizar as adições mais rudimentares, muito menos cálculos mais avançados. Contar com precisão, mesmo que apenas de um a dez, só é possível por meio de memorização; se solicitados a determinar se um número é maior do que outro, os sobreviventes não conseguem dar uma resposta precisa. Estranhamente, sobreviventes raramente ou nunca ficam preocupados com esse fato, a menos que sejam forçados por experimentadores a trabalhar em problemas matemáticos, momento em que eles se tornam defensivos e frequentemente exibem agressão.

SCP-593 foi descoberto em 20██ em ███ ███ ████ █████ ████████, ███ ████, na forma de vários contêineres pressurizados conectados ao equipamento central de AVAC do piso comercial principal. O surto inicial foi rapidamente contido e medidas de controle de danos foram tomadas na mídia, mas a origem do vírus permanece desconhecida. A investigação de todos os laboratórios conhecidos pela Fundação capazes de fazer a engenharia genética de tal organismo está em andamento.

Adendo: Apesar de sua semelhança genética com o sarampo e a peste bovina, atualmente não existe vacina para SCP-593. Tentativas de atenuar a força do vírus para uso como uma vacina de vírus vivos mostraram-se inúteis até o momento; vacinas de vírus mortos não parecem desencadear a resposta imunológica do corpo. Recomenda-se a contenção e o isolamento imediato de todas as possíveis vítimas, bem como a investigação imediata de surtos de sarampo em populações onde a vacinação contra o sarampo é historicamente alta.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License