SCP-999
avaliação: 0+x

Item nº: SCP-999

Classe do Objeto: Seguro

Procedimentos Especiais para a Contenção: É permitido que o SCP-999 percorra a instalação livremente se assim o desejar, caso contrário, deve ficar no seu curral. Não é permitido que ele saia do seu curral durante a noite, ou deixe os terrenos da instalação a qualquer momento. O curral deve ser mantido limpo, e a comida, reposta duas vezes ao dia. É permitido a entrada de todas as pessoas na área de contenção do SCP-999, mas apenas quando estas não forem atribuídas a outras tarefas, ou estiverem durante um intervalo. Deve-se brincar com o indivíduo quando ele ficar entediado, e sempre se dirigir a ele num tom de voz calmo e suave.

Descrição: SCP-999 parece ser uma grande e amorfa massa gelatinosa, translúcida, laranja e viscosa; pesa cerca de 54 kg, e tem uma consistência semelhante a de manteiga de amendoim. O tamanho e forma do indivíduo mudam constantemente, entretanto, na maior parte do tempo ele tem o tamanho de um grande pufe. A composição do SCP-999 é baseada em óleo, mas consiste de uma substância desconhecida a ciência moderna. Além da membrana fina e transparente que envolve sua massa laranja, o indivíduo parece não ter órgãos dos quais se comentar.

O comportamento do indivíduo é descrito como brincalhão, e pode ser comparado ao de um cachorro: quando abordado, SCP-999 irá reagir com uma animação excessiva, deslizando até a pessoa mais próxima e pulando em cima dela, a “abraçando” com um par de pseudópodes enquanto acaricia seu rosto com um terceiro pseudópode, o tempo todo emitindo gorgolejos agudos e ruídos abafados. A superfície do SCP-999 exala um odor agradável, que varia de pessoa para pessoa. A lista de aromas já registrados inclui: chocolate, roupa recém-lavada, bacon, rosas e massinha de modelar Play-Doh™.

Tocar o SCP-999 causa uma onda de euforia imediata. Quanto mais se é exposto a ele, mais intensa é essa euforia, perdurando por um longo tempo mesmo após a criatura se afastar. A atividade favorita do indivíduo é atacar outros com cócegas: ele costuma envolver uma pessoa por completo, do pescoço para baixo, e faz cócegas nela até pedirem para parar (mas ele nem sempre atende a esses pedidos).

A criatura vai interagir com qualquer um, mas foi notado que ela parece ter interesse em especial naqueles que estão infelizes, ou machucados de alguma forma. Depois de interagir com SCP-999, pessoas sofrendo de depressão severa retornam completamente curadas, e com uma visão muito mais positiva da vida. A possibilidade de comercializar pedaços do SCP-999 como antidepressivo tem sido discutida.

Em adição ao seu comportamento brincalhão, SCP-999 parece amar toda espécie de animal (principalmente humanos); ele se recusa a comer qualquer tipo de carne e até arrisca a própria vida para salvar a de outros, se colocando na frente de pessoas para tomar projéteis atirados contra elas (o nível intelectual do indivíduo continua a ser um tema debatido: apesar do seu comportamento infantil, ele parece entender a linguagem humana e tecnologia moderna, incluindo armas). A dieta da criatura se consiste inteira em doces, sendo M&M’s™ e Necco Wafers™ seus favoritos. Seus métodos de ingestão são similares àqueles observados em amebas.

Adendo SCP-999-A: A seguir, o relatório de um experimento em que SCP-682 foi exposto a SCP-999, com esperanças de que ele refreasse a raiva homicida da criatura.

SCP-999 é solto dentro da área de contenção do SCP-682. SCP-999 imediatamente desliza em direção a SCP-682.

999: (gorgolejos animados)

682: (murmúrios incompreensíveis e rosnados) O que é isso?

SCP-999 se move, de frente para SCP-682, saltitando de um jeito canino e emitindo guinchos agudos.

682: (resmunga) Repugnante…

SCP-682 imediatamente pisa em cima de SCP-999, esmagando-o por completo. Observadores estavam prestes a abortar o experimento quando SCP-682 volta a falar.

682: (grunhidos) Hmmm? (incompreensível) O que é esse… (um som baixo, que se assemelha a uma risada bem fraca) Eu me sinto todo… formigando por dentro…

SCP-999 pode ser visto rastejando por entre os dedos de SCP-682, subindo pelas laterais do seu corpo e ao redor do pescoço, onde ele para e começa, gentilmente, a fazer carinho com sua pseudópode. Um sorriso enorme começa a surgir bem devagar no rosto de SCP-682.

682: (risada profunda) Eu me sinto… tão… feliz. Feliz… (risadas) feliz… feliz…

SCP-682 repete a palavra “feliz” por vários minutos, soltando algumas risadas ocasionais, que eventualmente evoluem para um ataque de risos. Enquanto ri, SCP-682 rola e fica de barriga para cima, batendo a cauda no chão com uma força perigosa.

682: (berrando entre as risadas) Para! Sem cócegas! (continua rindo)

SCP-682 e SCP-999 continuam com a “luta de cócegas” até SCP-682 finalmente se cansar e aparentar cair no sono, com o que parece ser um sorriso no rosto. Após quinze minutos se passarem sem nenhuma atividade, duas pessoas classe D entram na câmara para recuperar SCP-999. Assim que SCP-999 é afastado, SCP-682 acorda de imediato e desencadeia uma onda indescritível de energia por seu corpo, o tempo todo rindo de forma maníaca.

Todas as pessoas dentro da área de alcance da onda colapsaram em um ataque de riso paralisante, permitindo SCP-682 de escapar e trucidar a todos no seu caminho. Enquanto isso acontecia, SCP-999 resgatou o máximo de pessoas que conseguiu, e rapidamente as levou a um lugar seguro, onde elas puderam se recuperar da “onda de riso” causada pelo SCP-682, que estava sendo controlado e contido.

Apesar do caos que SCP-682 trouxe a instalação, SCP-999 não demonstrou sentir nenhum medo perto da criatura e, de fato, fez gestos sugerindo querer “brincar” com o SCP-682 de novo. SCP-682, contudo, declarou: “Aquele catarro nanico, nojento e fedido pode [DADO ELIMINADO] e morrer.”

Memorando do Dr. ████: “O teste foi mal sucedido e acabou em tragédia, mas deve ter sido a coisa mais engraçada que já vi. Eu nunca pensei que chegaria, algum dia, a ver o SCP-682 como ‘fofo’. Por favor, me enviem uma cópia das fitas de segurança o mais rápido possível.”

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License