Sexo, Drogas, Dinheiro
avaliação: +2+x

Esse artigo faz referência a assuntos adultos, incluindo o tópico de agressão sexual. Por favor use discrição ao prosseguir.

newspaper1.png

Poucos anos após a bagunça de publicidade destrutiva que pegou a Fundação SCP de surpresa, está ficando claro que sua antiga ideia de segredos e mentiras não está aguentando a prova do olho público. Sendo a monstruosidade internacional resiliente que eles são, a organização se adaptou; publicidade foi utilizada para beneficiar sua imagem, com companhas para novas contratações disparando afrente de gigantes da tecnologia e companhias de exploração espacial em termos de popularidade. Os novos recrutas da Fundação e sua imagem: Jovens, inteligentes, atrativos, e negociáveis. Mas um conceito que o nosso mundo pós-brecha aprendeu do jeito difícil é que as coisas nem sempre são como elas parecem.

E com a história do oficial Reginald Jacobson flutuando para o topo da fossa obscura do Comitê de Ética de casos duvidosos de conduta de funcionários, essas verdades estão atingindo o público com mais força — e mais inconfundivelmente — do que nunca. Neste segmento, abordaremos os detalhes do que aconteceu, o que vazou, o que está em vídeo, o que está em texto e o que ainda permanece invisível, perdido para sempre nas redes de comunicação interna da Fundação SCP.

Para entender completamente a extensão deste caso e todas as suas bandeiras vermelhas e falhas, acredito que nós, leitores, precisaremos decompô-lo em três elementos-chave do novo modus operandi da Fundação. Com isso em mente, vamos abrir o caso de Jacobson e dar uma boa olhada em como isso vai mudar a Fundação — e o mundo — de uma maneira que é irreversível até pelos padrões deles e por quais meios:

Com essas evidências apresentadas tão claramente em entrevistas, gravações de segurança e tudo mais, espera-se que cheguemos a uma conclusão. Talvez a conclusão a ser alcançada seja que isso vai acabar e em seis meses teremos a memória do caso amnesticizada. Talvez a conclusão seja que esse finalmente tenha sido o tempo que fez a diferença e que os líderes da organização extralegal finalmente considerem operar sob verdadeira transparência. Ou talvez — e o que eu espero que seja mais provável — o resultado será o mesmo e repetido ad infinitum; algo terrível vem à luz de dentro dos corredores fechados de concreto dos Sítios, dos ultrajes públicos e então voltamos a ser complacentes, porque confiamos demais na proteção deles para realmente lutar contra a injustiça.

Com o júri ainda em aberto - por assim dizer - sobre o eventual resultado do caso Jacobson, e como uma nota final para o segmento detalhado desta semana, deixo os leitores com o seguinte: Até que ponto você está disposto a ter seus limites pressionados antes de você concluir que basta?

newspaper2.png
Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License