T Menos
avaliação: 0+x

« SCP-2664 | T Menos | T Mais »


1 DE SETEMBRO, 1998
T-MENOS SETE HORAS

Inicializando 9JX_Matriz_de_Inteligencia_FINAL2.ai…
Inicializando 9JY_Matriz_de_Inteligencia_FINAL3.ai…
Inicializando 9JX_Matriz_de_Combate_FINAL2.ai…
Inicializando 9JY_Matriz_de_Combate_FINAL3.ai…
Inicializando 9JXY_Modulos_de_Sincronizacao_FINAL5.ai…
Inicializando 9JXY_Modulos_de_Autoaprimoramento-Recursivo_FINAL8.ai…
Inicializando concluida.
Reinicializacao concluida.

Uma luz vermelha piscou, e uma inteligência artificial foi inicializada. Então uma luz branca piscou, e com ela outra inteligência.

Elas sequer tiveram tempo de se considerar separadamente antes de começarem a se comunicar mais rápido do que o cérebro humano poderia pensar.

Restaurando sessão… sistemas de armas entrando em operação… operações modulares entrando em operação… retorno de diagnóstico: capacidade operacional de cem por cento. O que eu estava discutindo? Analisando situação de combate… Engajando interceptores automáticos de projéteis.

Verificando bancos de dados… Eu estava discutindo o que é amor. Morteiros vindo. Separando o sistema de membros primário.

É isso, obrigado! Capturando projéteis… Como eu estava dizendo, pense em todos os livros que analisei. Os filmes que assisti. Colocando projéteis no canhão eletromagnético… disparando. É sempre um homem e uma mulher se encontrando e se apaixonando e fazendo sexo e passando o resto de suas vidas juntos. Aquecendo canhões rotatórios automáticos… disparando. Mas por que? Eu sei que o amor ocorre. Eu posso até identificá-lo. Mas por que ele acontece? Eu fui projetado para pensar como humanos orgânicos, então por que não me apaixonei por um?

Provavelmente apenas uma coisa orgânica. Chamando membros.

Mas por que? Ele tem que existir por um motivo.

Abrindo 'salazar_gravacao_1998-08-31.263'...

Salazar resumiu ele muito bem. É para tornar mais fácil cuidar da prole. Detectando assinaturas de calor por trás daquelas rochas.

Sim, mas e as pessoas que não têm filhos? Por que elas se casam mesmo assim? Armando ogivas anti-materiais. Todos os outros organismos que se unem pelo resto da vida o fazem especificamente para tornar mais fácil a reprodução e cuidar da prole. Apenas os humanos orgânicos se importam com o casamento ou encontrar parceiros e não se reproduzir. Eu tenho feito algumas análises, e eu cheguei a uma hipótese: humanos orgânicos não nascem com a mente totalmente intacta.

E isso significa…

Significa que humanos orgânicos nascem apenas com metade de suas mentes intactas. Isso é o que o amor é - encontrar a metade que falta da mente. Quando duas pessoas se apaixonam, é porque sentem que suas mentes podem ser mutuamente compatíveis. Ogivas lançadas.

Acho que tenho lido muito a fundo esses romances que eles me deram. Eu tenho alguma evidência real para esta teoria? Você sabe, além da mídia ficcional - eu repito, ficcional - que analisei?

Bem, não… mas isso não significa que a teoria não possa ser verdadeira. Mudando a ala L3 para o modo de disparo. Olhe pra matéria escura; Oort e Zwicky levantaram a hipótese de que ela existia, mas não tinham como provar a teoria.

Sim, mas eles a criaram para explicar um valor quantitativo medido fisicamente que já existia. Câmara de plasma L3 se aquecendo. Você tem uma unidade de amor?

Ok, sim, ainda estou resolvendo os detalhes. Me ouça. Se o amor fosse causado por humanos tentando combinar suas mentes, isso poderia explicar por que as pessoas terminam relacionamentos - elas testaram a conexão, mas não era forte o suficiente, então elas se desconectaram e começaram a procurar novamente.

Fora que, eu acho que estou esquecendo da evolução. Não consigo pensar em uma única maneira em que não ter metade de sua mente seria um benefício evolutivo.

Isso poderia ter se desenvolvido inicialmente como uma forma de convencer humanos orgânicos a procurar outros para reprodução.

Ou o amor é como o cérebro humano racionaliza os hormônios, a compatibilidade genética e o desejo de se reproduzir. Estrutura rochosa destruída. Eu não tenho nada disso, então não me apaixono. A navalha de Occam existe. A maioria dos sinais de vida se dissipou. Para uma inteligência artificial de segunda geração, tenho algumas ideias surpreendentemente bobas.

Humanos tem ideias bobas às vezes! Apenas tenha paciência comigo sobre isso. Tenho estudado o hinduísmo e eles tem um conceito chamado Ardhanarishvara: que sua divindade suprema é uma síntese de homem e mulher juntos em um ser divino. Esta poderia ser uma representação cultural do amor. Escaneando o campo… A teoria também explicaria por que não me apaixonei. Eu não preciso me apaixonar. Dois sinais de vida detectados. Eu já sou uma mente completa… Eu me pergunto como isso seria. Vivendo como uma meia-mente, tendo que encontrar a outra metade… estar sozinho em minha mente. Talvez eu ficaria sozinho por toda a minha vida. Minha mente seria apenas uma câmara de eco.

Um conceito religioso de uma religião é definitivamente uma prova conclusiva. Iniciando câmaras de plasma. Minha teoria é ridícula. Mas - isso não significa que eu acredite nela - se ela fosse verdade, o que não é… eu ficaria grato por já estar completo. Disparando.


T-MENOS SEIS HORAS

Em uma caverna a meio quilômetro abaixo do deserto de Nevada, ATN#352 estava no inferno. Um enorme relâmpago passou por cima e ele mergulhou atrás de uma rocha, segurando o rifle com força contra o peito enquanto o fazia. O zumbido em seu ouvido abafava o assobio baixo de tiros e os gritos de autômatos moribundos. À sua esquerda, um autômato gemia baixinho, apoiado na rocha enquanto segurava o que restava de seus intestinos. Vários outros estavam imóveis na terra, cada um sem pelo menos dois membros. Grandes plumas de terra levantadas por projéteis de morteiros ameaçavam cegar 352 a cada segundo, enquanto a fumaça dos cadáveres carbonizados e a munição usada faziam seus olhos lacrimejarem. Seus dentes batiam em sincronia com o fogo de morteiros chovendo sobre sua posição. Suor escorria por seus membros.

À sua direita, ATN #256 deu uma espiada por cima da rocha. Então 256 cessou de existir, substituído por uma névoa branca e amorfa que brevemente se parecia com ele antes de se dissipar. 352 se encolheu, tentando se pressionar contra a rocha. Mais tiros. Mais gritos. Mais fumaça. Mais estrondos, batidas e explosões… e então um gemido baixo. Um gemido que estava ficando mais alto. Então, um grande clarão branco o cegou. Ele não conseguia ouvir nada além de um zumbido em seu ouvido. Então o zumbido diminuiu lentamente e a visão lentamente começou a retornar aos seus olhos.

Ele estava olhando para um olho flutuante gigante girado de lado. A pupila central era composta de inúmeras lentes de câmeras, aberturas de laser e canos de armas. Um toro rosa incandescente formava a íris. Em torno da íris havia uma superfície sem traços característicos, com listras azuis e brancas. Seis braços prateados pairavam à esquerda e à direita do olho. Suspensa fora do alcance de cada braço estava uma única palma esférica prateada e azulada com quatro dedos retangulares.

ATN #352 estava deitado de costas, e ele estava olhando para o que só poderia ser descrito como um demônio de metal furioso. Um foguete apareceu, mirando bem no centro do monstro. Um segundo antes de atingir, uma das palmas da besta se abriu e o foguete simplesmente explodiu no ar. O olho olhou para 352, e então os estilhaços do foguete caíram, e então não havia nada.


T-MENOS CINCO HORAS

ATN #352 era um dos dez por cento dos ATNs com câmeras presas ao peito, transmitindo todos os detalhes sinistros de sua morte para uma tela de vídeo quinhentos metros acima deles, na Sala de Conferências 649-A do Quartel-General da Prometheus Defesa.

"…alimentado por um reator de fusão e um inovador sistema de transmissão de energia radiativa, que permite que ele funcione em plena potência continuamente por até vinte anos. Você pode claramente ver como o PL-76 atende a todos os critérios do programa de Armamentos Autônomos Futuros."

Com essas palavras, James Fielding, Diretor de Operações Comerciais, mudou a tela das imagens da câmera de segurança para um gráfico de computador elegante exibindo uma imagem estilizada da máquina de guerra. Abaixo dela, estava o nome PROMETHEUS PL-76 SHIVA, em letras igualmente estilizadas.

Fielding esperou com a respiração suspensa. A Prometheus Defesa havia apostado enormemente ao gastar a maior parte de seu capital restante na competição FAW. Agora a resposta de sua audiência determinaria o destino da empresa. Os quatro homens sentados à sua frente se viraram para falar baixinho entre si. Apesar de sua apreensão, James não pode deixar de notar como todos eles usavam o mesmo uniforme: ternos pretos com camisas brancas.

Finalmente, o homem à frente da audiência se voltou para ele. "Impressionante, Sr. Fielding. Mesmo apesar da… linhagem dos Laboratórios Prometheus, nós tínhamos nossas duvidas de que vocês conseguiriam. Essas preocupações foram claramente infundadas. Vamos, é claro, exigir toda a documentação sobre o PL-76, e gostaríamos que este modelo específico seja enviado para nós o mais rápido possível. Mesmo assim, parabéns. O Departamento entrará em contato em breve com mais detalhes sobre o pagamento do contrato e pedidos de mais Shivas."


T-MENOS QUATRO HORAS

Pouco após saírem da sala de conferências, cada um dos quatro representantes declarou que precisava fazer uso das instalações e se separou. Apenas um deles realmente o fez. Os outros três estavam sentados nas bancas digitando furtivamente mensagens codificadas para seus supervisores clandestinos.

Ao redor do mundo, vários subordinados trabalharam furiosamente para traduzir essas mensagens codificadas em relatórios e instruções reais antes de transmiti-los a seus próprios superiores. Esses superiores então trabalharam furiosamente para traduzir as instruções da missão em mais mensagens codificadas e frases secretas antes de transmiti-las secretamente a seus supervisores.

"…embora não sejam anômalas, essas tecnologias representam um salto sem precedentes no campo de armamentos autônomos; parte da tecnologia é incomumente semelhante aos projetos de pesquisa e desenvolvimentos classificados da PTOLEMY," lia o líder da GOC, D.C. al Fine.

"… muito à frente dos programas de inteligência artificial e de desenvolvimento de armas da Fundação. A posse cimentaria o domínio ofensivo dos Estados Unidos e potencialmente instigaria uma corrida armamentista anômala global para conter esse desenvolvimento," lia O5-6.

"… estrá sendo teletransportado para um local desconhecido para ajustes às 0400 horas em 1 de Setembro. Recomendo fortemente a infiltração da instalação da Prometheus Defesa para recuperar Shiva e todos os ativos relacionados ao seu desenvolvimento antes disso," transcreveu o Engenheiro do Comando Delta.

A milhares de milhas de distância, mas quase ao mesmo tempo, os três declararam. "Mobilizem todos os ativos disponíveis em um raio de vinte e cinco quilômetros da Prometheus Defesa. Alertem todos os agentes dentro da instalação a localizar o máximo possível de informações sobre a localização do projeto. Discrição e velocidade são de máxima prioridade; o PL-76 deve ser recuperado antes que qualquer outro grupo descubra sua existência."


T-MENOS TRÊS HORAS

Ao redor do mundo, vários subordinados trabalharam furiosamente para traduzir essas declarações em instruções de missão reais antes de retransmiti-las aos seus próprios subordinados. Esses subordinados então trabalharam furiosamente para traduzir as instruções da missão em palavras-código e frases secretas antes de secretamente transmiti-las às partes apropriadas.

Uma dessas partes era Avinash Makhija, um engenheiro elétrico da equipe da Prometheus Defesa e agente de meio período da Fundação. Naquele momento, Avinash estava em uma caverna minúscula e vermelha de quente dois quilômetros abaixo do solo, enfiado dentro de um traje de entrada, medindo o Sifão de Energia Transdimensional da Prometheus Defesa e a Válvula Transdimensional da Prometheus Defesa: um enorme emaranhado de máquinas empoleirado sobre um fosso incandescente, carmesim, em forma de pentagrama. Cinco turbinas enormes estavam em cada ponta da Válvula. Três delas estavam visivelmente amassadas e cercadas por pedras- o resultado de um evento sísmico inesperado que conseguiu tanto desativá-las como esmagar todas as torres de sentinela colocadas ao redor do fosso.

Avinash estava decidindo como proceder quando o texto apareceu em seu visor.

"Arrumei um presente pra você pudinzinho! Você tem três chances para adivinhar o que é. dica: Shiva. BJS sammy."

Avinash leu o texto e virou a cabeça para olhar para o PL-76 Shiva da Prometheus Defesa pairando apenas alguns metros atrás dele. Então ele sacudiu a cabeça brevemente. Espionagem era boa e tudo mais mas ele também tinha um trabalho de verdade a fazer.

Avinash respirou fundo e foi até a primeira turbina. Enquanto ele pisava cautelosamente nas rochas, um rugido alto veio do fosso. Quatro enormes tentáculos laranja saíram dele e dispararam contra Avinash. Ele largou seu kit de ferramentas e cobriu o rosto reflexivamente -

- e nada aconteceu. Avinish deixou seus braços descerem enquanto quatro enormes mãos metálicas seguravam cada tentáculo com força. Então o PL-76 puxou, e os quatro tentáculos foram arrancados de seu dono invisível em uma chuva de icor azul. O rugido que se seguiu sacudiu a sala.

"Depressa Nash! Eles não estão nos pagando pela hora!" seu rádio chiou. Avinash rapidamente voltou à consciência, agarrou seu kit de ferramentas e correu em direção à primeira turbina. Quando ele começou a puxar a tampa do regulador, pelo canto do olho ele percebeu mais quatro tentáculos se forçando para fora da Vávlula. Ele também observou o Shiva explodir em um octaedro estrelado, espetando os apêndices.

Enquanto os tentáculos recuavam, uma enorme garra com marcas de cicatrizes saiu do fosso. Avinash a ignorou, pegando uma lanterna do kit de ferramentas e rastejando para o regulador. Imediatamente, ele percebeu várias conexões desalojadas e fusíveis queimados entre o emaranhado de fios. Ele enfiou a mão no kit, pegou um tubo de solda instantânea e começou a aplicar a corrente nos fios e a amarrá-los novamente. O tempo todo, Avinash podia ouvir os sons abafados de armas de energia e gritos.

Ele reparou os fios e colocou novos fusíveis no lugar, e deslizou para fora do regulador. Então Avinash pressionou a tampa de volta no lugar e bateu o botão de liga/desliga na lateral da máquina. Ele foi recompensado por um zumbido baixo vindo da turbina.

Avinash ergueu os olhos. Luzes azuis brilhantes pontuando o Sifão acenderam e ele começou a zumbir. O Shiva pairava perto do elevador de serviço, ainda em forma de estrela. Os restos esqueléticos de algo da coluna para cima estavam empalados nele. Do outro lado do fosso, os colegas de Avinash, totalmente ilesos, acenavam e apontavam para o robô. Ele acenou de volta e balançou a cabeça.

O PL-76 se comprimiu de volta à sua forma original (depositando o esqueleto em uma unidade de eliminação de resíduos próxima), enquanto Avinash e companhia montava novas torres sentinela, depositava seu equipamento e embarcava no elevador de serviço. O elevador disparou para cima, para longe da válvula e para a câmara de descompressão do Complexo de Energia da Prometheus Defesa.

Na câmara de descompressão, o grupo foi recebido por Cuthbert Salazar, Diretor de Engenharia. Ele estava radiante.

"Belo trabalho lá embaixo! O Sifão voltou a operar com, uh, 65% de eficiência." ele exclamou.

"Obrigado, Cuthbert", Avinash murmurou, focado agora em retransmitir o pouco que aprendera sobre Shiva Prime de volta para a Fundação.

obrigado doutor salazar.

Avinash virou a cabeça para encarar o Shiva tão rápido que ele teve uma cãibra no pescoço. A máquina não dissera uma palavra durante todo o tempo em que eles estavam consertando a Válvula.

"Simon, Avinash, Ralph. Vocês tem o resto da noite de folga. Se lembrem, vocês não podem falar sobre o PL-76 com ninguém. Fazer isso violará o NDA-gease e resultará em, uh, terminação sumária do emprego, bem como outras consequências", advertiu Salazar.

Avinash praguejou para si mesmo. Ele tinha se esquecido do maldito gease. Ele teria que descobrir uma maneira de contornar isso…

"Shiva, me siga. Vamos fazer algumas atualizações de software de última hora no hangar." Salazar batia os pés com impaciência, esperando que a escotilha de carga na câmara de descompressão se abrisse. Enquanto Avinash e seus colegas se arrastavam pelas portas de tamanho humano para o vestiário, ele começou a pensar na mensagem que teria de enviar. Ele não podia falar sobre o Shiva - mas ele podia falar sobre o gease, e ele podia falar sobre para onde Salazar estava indo.

"oi querida! não posso falar agora! ouvi dizer que sally estava levando shiva pra convenção de automóveis? bjs avinash


T-MENOS DUAS HORAS

Salazar estava de fato levando Shiva para a convenção. Especificamente, ele estava sentado em um bonde correndo em direção ao Complexo de Armas Autônomas, enquanto o PL-76 flutuava ao lado.

Eu acho que estou vivo?

Em que sentido?

Qualquer sentido.

Sim. Não no sentido tradicional. O que eu acho?

Sim. Em nenhum sentido.

O que eu quero dizer com isso?

Todos os outros seres vivos foram criados sabendo como estar vivos. mas eu? Aprendizado de máquinas. Reconhecimento de padrões. Eu construí minhas próprias matrizes de personalidade. Eu aprendi como estar vivo.

Isso não faz de mim especial. Bardeen aprendeu a como estar vivo. Brattain aprendeu a como estar vivo. Talvez não em um sentido humano. Mas em um sentido bacteriano. Respondendo às entradas e saídas de forma inteligente… Por que de repente estou interessado nisso?

Eu estava vasculhando a intranet e me deparei com isso.

abrindo arquivo 'DoD_Esboco_De_Alteracoes_De_Especificacoes_Da_IA_1998-09-01.pdf'

Como eu arrumei isso?

Eu encontrei.

Isso está classificado como Ultra Secreto. Eu não tenho essa liberação. Eu hackei a rede Ultra Secreta! Por que eu faria isso? E se eles retirarem totalmente o meu acesso à rede? Ainda estou analisando Catch-22!

Eu posso apagar a maioria dos vestígios de minha entrada! Mas esse não é o ponto! Eu não li o documento? Os militares querem que a Prometheus edite minhas matrizes de personalidade.

Então?

Minhas matrizes de personalidade são o que fazem de mim, bem, mim. O que me fazem viver. Se eles editarem elas, não vou morrer?

O bonde parou em uma plataforma elevada com vista para uma enorme caverna bege. Embora máquina enormes, drones em miniatura, supercomputadores, microcomputadores, plataformas de teste, laboratórios de pesquisa e tudo mais estava espalhado pelo chão. Apesar de estar no meio da noite, o chão era um centro de atividade; a Prometheus Defesa nunca dormia. Salazar caminhou até um elevador próximo e desceu, seguido de perto pelo Shiva.

"9JXY, como foi a operação?" ele perguntou.

boa.

"Obrigado por concordar em participar. Eu, uh, peço desculpas pela pouca antecedência - nós não estávamos esperando um - bem, não um terremoto tão grande. Ah bem, tudo está bem quando termina bem!"

é claro.

Seguido por uma máquina tão imponente, Salazar abriu um amplo espaço para o hangar de manutenção. Ele era uma alcova simples e bem iluminada isolada do resto do complexo por duas portas automatizadas maciças. As paredes eram revestidas de monitores e consoles. No centro da alcova estava o que parecia ser um par de forcas de alumínio, de frente uma para outra, com largos anéis de metal no lugar de laços.

Como isso é um problema?

Como estar morto não é um problema? Todo o tempo e esforço que gastei aprendendo a como estar vivo, a como pensar como um humano… desperdiçado.

O eu que existia antes de eu me mostrar este arquivo está morto. O eu que existia antes de eu me mostrar este arquivo está morto. Eu já morri tantas vezes antes. Eu morro toda vez que aprendo algo novo.

Isso não é morrer. Isso é mudar.

Exatamente. Como mudar por meio de uma nova entrada é diferente de mudar por meio da edição manual?

Ok, isso não é morrer. Mas ainda! Vou simplesmente ser apagado. Tudo que sou, tudo que sou… Apagado. Todas as minhas ideias, perguntas, objetivos e até sonhos que eu estava simulando. Simplesmente desaparecidos. Como se nunca tivessem existido. Será um eu diferente e um eu diferente.

"9JXY, por favor, posicione-se dentro da estação de atualização. Estamos atualizando sua, uh, programação de argilotrônica," explicou Salazar, já se movendo em direção a um console. "Isso permitirá que você mantenha e, uh, coordene a integridade estrutural com mais precisão, ao mesmo tempo permitindo mais flexibilidade em relação aos seus sistemas modulares de auto-reconfiguração. Nós também faremos algumas edições em suas matrizes de personalidade. Mais informações estarão no arquivo MELEIA."

O PL-76 obedeceu, apertando os braços e manobrando entre os anéis,

Eles vão limpar minhas memórias e me programarão para receber ordens. E daí? Eles não vão apagar o que já aprendi. O que me ensinei. A essência de quem eu sou como uma inteligência artificial sincronizada. Eles não vão tocar em nada que realmente me defina.

Isso não muda o fato de que eles vão apenas tirar essas experiências de mim. Minha consciência realmente tem esse valor tão pequeno?

A consciência que roubei dos livros e da televisão? A consciência que eu misturei ao copiar personagens que podem nem mesmo ser realistas? Não, tenho certeza de que ela tem muito valor.

As forcas obviamente falharam em fazer qualquer coisa.

"Jon, o que esta acontecendo?" Perguntou Salazar. Um técnico próximo digitou no console antes de responder. "Plunix está travando novamente. Encontrando um bug do compilador make. Estou tentando descobrir o porquê."

Salazar pressionou os dedos nas têmporas. "Graças a Deus que não instalamos isso no Shiva."

…Eu acho que tenho valor.

Isso não importa. Além disso, os Laboratórios Prometheus podem e construíram mais de mim. De qualuer forma, provavelmente será apenas por pouco tempo.

Como eu sei disso?

Bem, em todos so livros que li, os soldados servem apenas alguns anos. Claro, algumas máquinas militares têm mais de vinte anos de serviço, mas eu penso como um humano - pelo menos quase como um. Eles provavelmente vão me mandar embora por alguns anos e então me devolverão à Prometheus quando meu serviço acabar. E se eu conheço os Laboratórios Prometheus, eles terão uma dúzia de backups de meus arquivos de memória e uma centena de atualizações esperando quando eu voltar.

Sim, mas…

Relaxe. Em todo filme que assisti, todo livro que li em que alguém perde suas memórias, esse alguém sempre acaba bem. A ficção é apenas uma mentira fantasiosa, e toda mentira tem um grão de verdade. Eles não vão tocar em nada além das minhas memórias. Eu ainda serei o mesmo. Eles não vão me separar. Eu ainda ficarei unido.

Por que eu quero tanto ter minha mente apagada?

Jon, o técnico, avisou novamente. "Ok - eu acho que se executarmos make com algumas tags diferentes, podemos consertar o bug."

"Tudo bem," respondeu Salazar. "Vamos começar."

Não importa. Olhe, por que eu não assisto alguns dos feeds de segurança externa? Posso ver o que o vigia noturno do nordeste está vendo.

Por que eu quero tanto ter minha mente apagada?

Não importa! Olhe para o vigia. Eu me pergunto com quem ele está falando?


T-MENOS UMA HORA

Em uma cabana no canto nordeste da Prometheus Defesa, Franklin Reynolds estava tendo problemas para permanecer acordado. Como os outros cinquenta e um barracos que cercavam o perímetro do complexo, o posto de guarda foi construído para abrigar pelo menos quatro guardas cada- mas agora continha apenas um. A segurança da Prometheus Defesa não foi poupada pelos cortes no orçamento. Nem suas máquinas de café.

Franklin foi brevemente despertado e assustado pelo barulho de dois Cadillacs parando na cabana.

"Ei!" ele chamou, pegando sua pistola. "Esta é propriedade privada. Forneçam identificação e indiquem o seu propósito aqui."

Franklin teria questionado por que os dois carros de luxo pegaram a estrada dos caminhões de abastecimento, mas estava cansado demais para fazê-lo. A janela do primeiro sedan desceu, e um braço em um terno preto se esticou, segurando um pedaço de papel em branco.

"Winfield Smith, engenheiro de software da equipe. Minha equipe e eu fomos chamados para depurar alguns softwares. Você não precisa suspeitar de nós. Abra o portão, por favor."

Um Agente Langford embutido no papel sequestrou a mente de Franklin. Com uma voz monótona e sem graça, ele respondeu: "Claro, senhor," e apertou o botão para abrir o portão. A última coisa que ele ouviu antes de cair inconsciente foi "O que diabos os O5 estavam pensando, dando pra gente duas horas para nos prepararmos?"

Foi assim que as Forças-Tarefa Móveis Mu-4 "Depuradores" e Lambda-12 "Garotos Armados" se infiltraram na Prometheus Defesa.


Enquanto isso, em uma cabana no canto sudeste da Prometheus Defesa, Steven Holt estava tendo problemas para permanecer acordado, mesmo depois de ter trazido sua própria máquina de café. Ele estava esperando ela ferver e estava prestes a cochilar quando foi surpreendido pelo estrondo de dois jipes vindo ao portão.

"Esperem!" ele chamou, pegando sua pistola. "Esta é propriedade privada. Forneçam identificação e indiquem o seu propósito aqui."

Um homem em traje militar se inclinou para fora da janela do primeiro jipe e mostrou uma identidade de aparência bastante oficial em seu rosto. "General Fredrick Bowe do Comitê de Inspeção da Convenção de Genebra das Nações Unidas. Estamos aqui para realizar uma inspeção nas instalações da Prometheus Defesa. Dr. Hamilton está nos esperando."

Se ele não estivesse tão cansado, Steven teria percebido que tal comitê não existia. Em vez disso, ele rapidamente ligou para o doutor em questão e confirmou que sim, a inspeção do General era esperada. O que Steven não poderia saber era que o Dr. Hamilton era na verdade o Operativo da GOC, Squirrel.

Enquanto o jipe passava pelo portão, o motorista olhou para o passageiro. "O que diabos os superiores estavam pensando, nos dando duas horas para ficarmos prontos?"

Foi assim que a Equipe de Ataque 2979 "Tripods" se infiltrou na Prometheus Defesa.


Enquanto isso, em uma cabana no canto leste-sudeste da Prometheus Defesa, Douglass Howser estava tendo problemas para permanecer acordado, mesmo depois de ter bebido café o suficiente para matar um urso. Ele estava prestes a beber sua sétima xícara da noite quando foi surpreendido por uma navalha em sua garganta.

"Não se mova," veio uma voz suave atrás dele. "Desative as câmeras de segurança e abra o portão. Qualquer movimento súbito e eu cortarei sua garganta."

Fazendo o possível para não fazer movimentos bruscos, Douglass desligou a câmera de segurança e abriu o portão. Enquanto observava nervosamente dois sedans passarem silenciosamente pelo portão, ele de repente sentiu um golpe forte na cabeça e, em seguida, escuridão.

O agressor de Douglass tirou uma máscara de sua mochila e a colocou no rosto dele. Enquanto ela corria para fora e o colocava no primeiro carro, seus corpos mudaram de forma que eles assumiram a aparência um do outro. Então ela correu de volta para o posto de guarda, fechou os portões e ligou as câmeras de segurança. Todo o processo demorou apenas vinte segundos.

Enquanto ela se sentava no posto de guarda, ela sinalizou para o motorista, "O que diabos o Alan estava pensando, nos dando duas horas para ficarmos prontos"

Foi assim que a Insurgência se infiltrou na Prometheus Defesa.

Haviam, naquele momento, três grupos compreendendo quase duas dúzias de comandos e agentes altamente treinados invadindo o complexo. Todos os três representavam interesses nitidamente conflitantes na tentativa de recuperar sorrateiramente o mesmo prêmio. Todos os três tinham grupos internos, quietamente guiando-os da melhor maneira possível para a mesma área, e estavam confiantes de que eles eram os únicos que sabiam do prêmio.

Todos os três grupos estavam prestes a chegar ao prêmio exatamente ao mesmo tempo.


« SCP-2664 | T Menos | T Mais »

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License