O Mar dos Kaiju
/* ---------------------------------
War on All Fronts (Sigma-9)
2020 Wikidot Theme
Created by stormbreath
Header image created by EstrellaYoshte
--------------------------------- */
 
/* -------------- ROOT -------------- */
@import url('https://fonts.googleapis.com/css?family=Saira+Stencil+One&display=swap');
 
:root {
   --deepsea: linear-gradient(to bottom,
       rgb(0,0,101),
       rgb(23,0,82),
       rgb(0,0,0))
}
 
/* -------------- HEADER -------------- */
div#container-wrap {
    background: url(none);
}
 
div#extra-div-1 {
    height: 140px;
    width: 100%;
    top: 0;
    position: absolute;
    background-color: rgb(23,0,127);
    background-image: var(--deepsea);
}
 
div#extra-div-2 {
    height: 23px;
    width: 100%;
    top: 140px;
    position: absolute;
    background: linear-gradient(to top,
      rgb(59, 59, 59),      
      rgb(83, 83, 83));
    border-bottom: 2px solid rgba(188, 184, 185, 0.5);
}
 
#header {
    background-image: url("http://scptestwiki.wdfiles.com/local--files/component%3Awoaf-theme/mksjr2.png");
    background-size: 100px 100px;
}
 
#header h1 a {
    color: transparent;
    text-shadow: none;
    font-family: 'Saira Stencil One', cursive;
}
 
#header h1 a::before {
    content: "Guerra em Todas as Frontes";
    color: rgb(173,171,181);
    text-shadow: 3px 3px 5px #000000;
    font-variant: small-caps;
}
 
#header h2 span {
    color: transparent;
    text-shadow: none;
    font-family: 'Saira Stencil One', cursive;
}
#header h2 span::before {
    content: "Vamos Precisar de um Barco Maior";
    color: rgb(173,171,181);
    text-shadow: 1px 1px 1px rgba(0,0,0,.8);
    font-variant: small-caps;
}
 
/*-------------- LOG-IN INFO -------------- */
#login-status {
    font-weight: bold;
    color: rgb(173,171,181);
}
 
#login-status a {
    color: white;
}
 
#login-status ul {
    background-color: rgb(23,0,127);
    background-image: var(--deepsea);
}
 
#login-status ul a {
    color: rgb(173,171,181);
    background: transparent;
}
 
#login-status ul a:hover {
   color: white;
}
 
/* -------------- SEARCH-BAR -------------- */
#search-top-box-input {
    background-color: #003;
}
#search-top-box-input:hover,
#search-top-box-input:focus {
    background-color: #336;
}
#search-top-box-form input[type=submit] {
    background-color: #336;
    background: linear-gradient(to bottom, #669, #336, #003);
}
 
#search-top-box-form input[type=submit]:hover,
#search-top-box-form input[type=submit]:focus {
    background-color: #669;
    background: linear-gradient(to bottom, #99c, #669, #336);
}
 
/* -------------- TOP-BAR -------------- */
#top-bar ul li ul {
    background-color: rgb(23,0,127);
    background-image: var(--deepsea);
    border: solid 1px rgb(0,0,102);
}
 
#top-bar ul li:hover a[href="javascript:;"] {
    background: rgb(41,41,41);
}
 
#top-bar ul li.sfhover ul li a,
#top-bar ul li:hover ul li a {
    border-top: 1px solid transparent;
}
 
#top-bar ul li.sfhover a,
#top-bar ul li:hover a {
    background: transparent;
    color: rgb(173,171,181);
}
 
#top-bar ul li ul a {
    color: rgb(173,171,181);
}
 
#top-bar ul li.sfhover a:hover,
#top-bar ul li:hover a:hover {
    background: rgba(195, 200, 220);
    color: #10b;
}
 
/* -------------- BODY -------------- */
body {
    background: linear-gradient(to bottom,
        rgb(200,200,200),
        rgb(245,245,245) 400px
    );
}
 
h1, #page-title {
    color: rgb(44,46,100);
}
 
#page-title {
   border-color: rgb(44,46,100);
   font-family: 'Saira Stencil One', cursive;
   text-align: center;
}
 
::-webkit-scrollbar {
    width: initial;
    height: initial;
}
 
::-webkit-scrollbar-thumb {
    background-color: rgb(175, 175, 175, .7);
    border-radius: 5px;
    border: 1px solid black;
}
 
::-webkit-scrollbar-track {
    background-color: rgb(23,0,127);
    background-image: var(--deepsea);
}
 
::selection {
    background: rgba(35, 35, 180, 0.25);
}
 
/* -------------- SIDE-BAR -------------- */
#side-bar a,
#side-bar a:visited,
#side-bar a.newpage {
    color: rgb(173,171,181);
}
 
#side-bar .collapsible-block-link::before {
    filter: grayscale(100%) invert(1);
}
 
#side-bar .collapsible-block-link, #side-bar .collapsible-block-folded:hover, #side-bar .collapsible-block-unfolded-link {
    color: rgb(173,171,181) !important;
}
#side-bar .collapsible-block-unfolded-link {
    border-bottom: solid 1px white !important;
}
 
#side-bar .side-block {
    background-color: rgb(23,0,127);
    background-image: var(--deepsea);
    border: 1px solid black;
    box-shadow: 0 2px 6px rgba(0,0,102,.5);
    color: white;
}
 
#side-bar .side-block.media,
#side-bar .side-block.resources {
    background-color: rgb(23,0,127);
    background-image: var(--deepsea);
}
 
#side-bar .heading {
    color: white;
    border-color: white;
}
 
iframe.scpnet-interwiki-frame,
.side-block .menu-item > .image {
    filter: grayscale(100%) invert(1);
}
 
/* -------------- FOOTER -------------- */
#footer {
    background: rgb(23,0,82);
}
 
/* -------------- LINKS -------------- */
a {
    color: rgb(17,0,187);
}
 
a.newpage {
    color: rgb(17,102,221);
}
 
a:visited {
    color: rgb(17,0,153);
}
 
/* -------------- PAGE EDITING OPTIONS -------------- */
.buttons .btn,
#lock-info {
    border-color: rgb(100,100,100);
    background-color: rgb(235,235,235);
}
 
/* -------------- RATING MODULE -------------- */
.page-rate-widget-box .rate-points {
    background-color: #336 !important;
    border: solid 1px #336;
    text-transform: capitalize;
}
 
.page-rate-widget-box .rateup,
.page-rate-widget-box .ratedown {
    background-color: #f0f6ff;
    border-top: solid 1px #336;
    border-bottom: solid 1px #336;
}
 
.page-rate-widget-box .rateup a,
.page-rate-widget-box .ratedown a {
    color: #336;
}
 
.page-rate-widget-box .rateup a:hover,
.page-rate-widget-box .ratedown a:hover{
    background: #336;
    color: #f0ffff;
}
 
.page-rate-widget-box .cancel {
    background-color: #336;
    border: solid 1px #336 !important;
}
 
.page-rate-widget-box .cancel a {
    color: #669;
}
 
.page-rate-widget-box .cancel a:hover {
    background: #336;
    color: #f0ffff;
}
 
/* Info Module */
#page-content .rate-box-with-credit-button{
    background-color: #336 !important;
    border: solid 1px #336;
}
 
#page-content .creditButton p a {
    border-left-color: #669;
}
 
.close-credits,
.credit-back {
     filter: hue-rotate(260deg)
}
 
#page-content .modalbox {
    box-shadow: 0 2px 6px rgba(0, 0, 100,.5);
    background: linear-gradient(
        rgb(200,200,200) 51px,
        rgb(240,240,240) 51px,
        rgb(240,240,240)) !important;
}
 
.info-container {
    --barColour: #336;
}
 
/* -------------- OTHER ELEMENTS -------------- */
blockquote,
div.blockquote,
.code {
     background: rgb(235, 235, 235);
}
 
table.wiki-content-table th {
    background-color: rgb(225,225,225);
}
 
.scp-image-block {
    border: solid 1px rgb(0,0,102);
    box-shadow: 0 1px 6px rgba(0,0,0,.25);
}
 
.scp-image-block .scp-image-caption {
    background-color: rgb(235,235,235);
    border-top: solid 1px rgb(0,0,102);
}
 
div.woaf-hr {
     height: .3em;
     background: linear-gradient(to right,
         rgb(0,0,0),
         rgb(23,0,82),
         rgb(0,0,101),
         rgb(23,0,82),
         rgb(0,0,0));
     margin: 1em 0;
     border-radius: 5px;
}
 
div.woaf-hr p,
div.woaf-hr ul {
    display: none;
}
 
/* -------------- TABS -------------- */
/* Tab CSS is taken from the Black Highlighter Theme and minified to reduce length. */
.yui-navset .yui-content{background-color:inherit}.yui-navset .yui-nav a,.yui-navset .yui-navset-top .yui-nav a{background-color:inherit;background-image:inherit}.yui-navset .yui-nav .selected a,.yui-navset .yui-nav .selected a:focus,/* no focus effect for selected */.yui-navset .yui-nav .selected a:hover{background:inherit;color:inherit}.yui-navset .yui-nav a:hover,.yui-navset .yui-nav a:focus{background:inherit;text-decoration:inherit}.yui-navset .yui-nav,.yui-navset .yui-navset-top .yui-nav,.yui-navset .yui-nav,.yui-navset .yui-navset-top .yui-nav{border-color:inherit}.yui-navset li{line-height:inherit}.yui-navset *{transition:background-color 80ms cubic-bezier(0.4,0.0,0.2,1),color 80ms cubic-bezier(0.4,0.0,0.2,1)}.yui-navset .yui-nav,.yui-navset .yui-navset-top .yui-nav{zoom:unset;display:flex;flex-wrap:wrap;border-color:#19148c;width:calc(100% - 0.125rem);margin:0 auto;border:0;box-shadow:0 calc(0.0625rem * 5) 0 0 #19148c}.yui-navset .yui-nav a,.yui-navset .yui-navset-top .yui-nav a{zoom:unset;background-image:none;background-color:#f4f4f4;border:unset;color:#0c0c0c}.yui-navset .yui-nav a:hover,.yui-navset .yui-nav a:focus{zoom:unset;background-color:#0f0364;color:#fcfcfc}.yui-navset .yui-nav li,.yui-navset .yui-navset-top .yui-nav li{background-color:#f4f4f4;border-color:transparent;max-width:100%;padding:0;margin:0;zoom:unset;display:flex;position:relative;flex-grow:2;box-shadow:0 0 0 .0625rem #19148c}.yui-navset .yui-nav li a,.yui-navset-top .yui-nav li a,.yui-navset-bottom .yui-nav li a{display:flex;vertical-align:bottom;zoom:unset;width:100%;align-items:center;justify-content:center}.yui-navset .yui-nav a em,.yui-navset .yui-navset-top .yui-nav a em{padding:.35em .75em;white-space:nowrap;text-overflow:ellipsis;overflow:hidden}.yui-navset .yui-nav li em{border:unset!important}.yui-navset .yui-nav .selected,.yui-navset .yui-navset-top .yui-nav .selected{padding:0;margin:0;flex-grow:2;background-color:#19148c;}.yui-navset .yui-nav .selected a,.yui-navset .yui-nav .selected a em{border:none;border-color:transparent}.yui-navset .yui-nav .selected a{color:#fcfcfc!important;width:100%;background-image:none}.yui-navset .yui-nav .selected a:focus,.yui-navset .yui-nav .selected a:active{background-color:#19148c;color:#fcfcfc}.yui-navset .yui-nav .selected a:hover{cursor:default}.yui-navset .yui-content{background-color:rgb(235,235,235); box-shadow:inset 0 calc(0.0625rem * 5) 0 0 rgba(25,20,140,.75);}.yui-navset .yui-content,.yui-navset .yui-navset-top .yui-content{border-color:#aaa}.yui-navset-left .yui-content{border-left-color:#f4f4f4}
 
/* -------------- MOBILE VIEW -------------- */
@media (max-width: 767px) {
    #side-bar .side-bar-container {
         background-color: rgb(23,0,127);
         background-image: var(--deepsea);
         border-right: 0px !important;
     }
 
    #top-bar .open-menu a {
        border: 0.2em solid rgb(0,0,102);
        color: rgb(0,0,102);
        background: rgb(245,245,245);
    }
}
 
@media (max-width: 479px) {
    #header {
        background-size: 55px 55px;
    }
}
 
@media (min-width: 480px) and (max-width: 580px) {
    #header {
        background-size: 66px 66px;
    }
}
 
@media (min-width: 581px) and (max-width: 767px) {
    #header {
        background-size: 77px 77px;
    }
}
 
@media (min-width: 768px) and (max-width: 979px) {
    #header {
        background-size: 88px 88px;
    }
}
avaliação: +1+x

O Mar dos Kaiju

SCP-3534-02, A Salvação da Estrela do Mar, Waterworld mas não o de Kevin Costner

Conspecto

O Mar dos Kaiju é uma versão de realidade alternativa da Terra, quase totalmente coberta por oceanos e habitada por quimeras aquáticas e semi-aquáticas. Especula-se que tenha sido daqui que o Quin Krake1 que atacou Hy-Brasil em 1988 tenha se originado. Se este for o caso, o Mar dos Kaiju pode representar um risco de outras entidades invadirem outros reinos, possivelmente en masse2.

Ilustração

planet.jpg

Uma foto orbital do Mar dos Kaiju, uma Terra destruída. Tirada por Munin do Nautilus.

Conhecimento

Caracteríticas: O Mar dos Kaiju parece ter sido uma versão comum da Terra até algum ponto em meados do século XX, quando foi submetido a uma invasão de Kaiju3 de uma realidade atualmente desconhecida. Os Kaiju somavam-se aos milhares, no mínimo, e seu ataque pôs um fim rápido à população humana endêmica. Sua presença também parece ter alterado gradualmente o próprio planeta, mais notavelmente ao produzir um aumento drástico na quantidade de água. Aproximadamente 90 por cento da terra está submersa e há uma névoa quase permanente na superfície.

Os Kaiju em si variam muito em tamanho, variando de 20 a 500 pés de altura. Seus corpos são tipicamente um amálgama de características reptilianas, cefalópodes e ictiológicas4. Quase todos os Kaiju observados até o momento são pentaradialmente simétricos, com partes corporais que normalmente vêm em pares em vez disso vindo em conjuntos de cinco.

Observa-se que os Kaiju são altamente agressivos, atacando praticamente qualquer outra entidade à vista, bem como frequentemente lutando entre si. Embora espetaculares, essas lutas raramente são fatais, visto que os Kaiju possuem durabilidade e habilidades regenerativas sobrenaturais. Eles também possuem uma variedade de habilidades taumatúrgicas ofensivas, como ser capaz de exalar fogo mágico que não extingue debaixo d'água5.

Natureza: O Mar dos Kaiju está completamente desprovido de toda vida humana e terrestre, presumivelmente devido a uma combinação de enchentes em massa com ataques e competição dos Kaiju. Vida oceânica não anômala é abundante, com um aumento notável na população da maioria das espécies de estrelas do mar. os Kaiju ocupam o nicho de predadores de ápice, alimentando-se predominantemente de baleias.

A população exata de Kaiju é desconhecida, mas como eles ainda não esgotaram sua fonte primária de alimento, parece que os Kaiju matam significativamente menos baleias do que os humanos mataram durante a era da caça industrial de baleias. Dado o tamanho e a natureza agressiva dos Kaiju, isso é um tanto desconcertante.

Além do problema da comida, o tamanho colossal dos Kaiju viola claramente a lei do cubo quadrado, além de introduzir uma variedade de outros problemas relacionados ao tamanho. A maior parte do conhecimento que possuímos sobre a anatomia dos Kaiju foi adquirido da CIETU6, que realizou testes extensivos nos restos mortais do Quin Krake78 após seu ataque. Eles concluíram que, além de possuir biologia não euclidiana extensa e células anormalmente taumaturgicamente ativas, o Quin Krake tinha um valor de Hume interno relativamente baixo, diminuindo o efeito das leis da física de nossa realidade em seu corpo.

Ninguém ainda observou Kaiju acasalando910. Com base na análise da CIETU da carcaça do Quin Krake, acredita-se que eles possuam sexo biológico, ou seja, que eles produzam gametas masculinos ou femininos. O Kaiju que atacou Hy-Brasil era uma fêmea e continha vários milhões de óvulos não fertilizados11, mas não tinha útero, provavelmente indicando que os óvulos são fertilizados externamente. Isso faria sentido, já que a agressividade aparentemente universal dos Kaiju uns contra os outros pareceria impedir a possibilidade de fertilização interna12.

História & Grupos Associados: Não se sabe exatamente como e quando o Mar dos Kaiju foi criado. Há poucos sobreviventes conhecidos desse reino, e nenhum deles sabe exatamente o que aconteceu em seu mundo, além de uma inundação e uma invasão de monstros.

Certos membros da Quinta Igreja, os Cinquistas do Sul em particular, afirmam13 que os Kaiju são na verdade anjos da Estrela do Mar14 e que eles foram enviados para proferir julgamento sobre aquele mundo por sua falta de devoção, bem como para servir de exemplo a todos os outros mundos sobre o que aconteceria se eles não aceitassem a Estrela do Mar em seus corações1516. Outras fontes afirmam que a ofensa foi mais flagrante e que alguns mortais de alguma forma tentaram entrar no Céu da Estrela do Mar durante suas vidas terrenas. A última explicação parece mais provável, já que a grande maioria das realidades tem apenas pequenas populações de Cinquistas, e nenhuma delas foi invadida por anjos de cinco membros.

Abordagem: Muitas das Vias que conectavam o Mar dos Kaiju à Biblioteca antes da Enchente ainda estão funcionais, embora passar por elas exija um traje de mergulho profundo. Além disso, tome precauções para que, ao abri-las, não inundem a Biblioteca, para não enfrentar a ira dos docentes.

O Mar dos Kaiju também pode ser alcançado por meio de embarcações, máquinas ou entidades capazes de viagens multiversais.

Supostamente também há um feitiço que pode ser inscrito em qualquer navio marítimo que o transmutará em um submarino, que fará a transição para o Mar dos Kaiju ao atingir uma profundidade adequada. Este feitiço foi descoberto pela IJAMEA e atualmente é mantido em segredo pelos Carcereiros.

Outros Detalhes: Determinar como o Quin Krake conseguiu chegar ao nosso mundo a partir do Mar dos Kaiju é de suma importância se quisermos evitar que tal catástrofe aconteça novamente. Uma das teorias mais aceitas entre a Mão da Serpente e outros Patronos da Biblioteca é que os Kaiju são capazes de usar suas capacidades taumatúrgicas para gerar suas próprias Vias e migrar para realidades alternativas. Eles podem fazer isso ou individualmente, ou en masse.

A CIETU está atualmente investigando a manipulação das linhas ley, na esperança de que as linhas ley de nosso mundo possam ser usadas para interromper ou redirecionar ditas Vias massivas. Alguns estudiosos da CIETU também especularam que foram só as proteções decadentes de Hy-Brasil que permitiram ao Quin Krake entrar em nosso mundo, e mesmo isso foi apenas uma manifestação ao acaso do grande infortúnio que as proteções decadentes exigiam para equilibrar seus séculos de proteção. Os méritos dessa teoria permanecem debatidos de maneira acalorada.

Se não for encontrada uma maneira de evitar que os Kaiju migrem para nossa realidade17, nós poderíamos muito bem sofrer o mesmo destino que caiu sobre o Mar dos Kaiju. Mais pesquisas são necessárias para descobrir precisamente como e por que os Kaiju viajam entre os mundos a fim de encontrar meios de impedi-los ou prevenir que eles entrem no nosso. Considerando o que os Queimadores de Livros precisaram para matar apenas uma dessas criaturas, uma invasão em grande escala seria verdadeiramente imparável18.

Observações & Histórias

Aquele Pássaro Mago, aquele que se autodenomina o Wandsman de kul-Manas, alugou-nos para levá-lo ao Mar dos Kaiju logo depois que ele ouviu falar dele pela primeira vez na Biblioteca. Ele podia ter chegado lá sozinho, mas aparentemente não é um nadador muito forte.

A primeira coisa estranha que aconteceu foi que emergimos na órbita baixa da Terra em vez de na superfície, que foi de onde tirei aquela foto. Evidentemente, algo sobre sobre o Mar dos Kaiju acionou nossos feitiços de proteção e tivemos que lançar contra-feitiços só para pousar.

O ar na superfície era úmido e frio, com uma névoa tão densa que você não conseguia ver um metro à sua frente, muito menos o sol. O estranho silêncio era quebrado apenas por gemidos distantes e monstruosos que se propagavam por quilômetros de oceano imperturbado.

Como não conseguíamos ver nada na superfície, decidimos mergulhar quase imediatamente. Para nossa surpresa, estávamos bem acima de uma grande cidade. Não sei dizer qual. Não restava o suficiente dela. Ela estava toda derrubada e em ruínas, com edifícios incrustados de cracas e algas marinhas. Era uma visão de partir o coração, para ser sincero.

Felizmente, não tivemos muita chance de lamentar pelas pessoas daquele mundo, porque foi naquele momento que um dos Kaiju nos viu. Você sabe o que é um Mosassauro? Ele era mais ou menos daquele jeito, exceto que com cinco tentáculos no lugar de uma cauda, cinco pares de nadadeiras, cinco barbatanas dorsais ao longo de suas costas e cinco guelras de axolote em seu pescoço, cada uma com um olho na base. Ah, e ele tinha mais de 400 pés de comprimento.

Ele voou direto na nossa direção, gritando algum ataque sônico horrível, então tomamos ações evasivas. O Wandsman queria uma chance de observá-lo, mas Nemo não estava disposta a arriscar o Nautilus e nossas vidas, e ela disparou nossos canhões espectrais no Kaiju. Eles mal fizeram uma marca nele, e mesmo isso se regenerou diante de nossos olhos. Tentamos despitá-lo, mas apesar de seu tamanho gigantesco, ele realmente conseguia se mover. Nemo ordenou que emergissemos, mas de alguma forma o Kaiju conseguiu ficar acima de nós. Acompanhando nosso ritmo, ele começou a descer, nos forçando a descer com ele.

Mais e mais fundo nós fomos, cada segundo nos trazendo mais perto de sermos esmagados no fundo do mar pela quimera colossal. Foi então que o Pássaro Mago provou ser mais do que apenas um estudioso de poltrona e descanso de braço19. Ele agarrou um de nossos canhões espectrais e o usou para entalhar algum tipo de sigilo na carne da fera.

Não tenho certeza do que exatamente isso fez, mas o Kaiju começou a se debater de dor e foi o suficiente para nós passarmos dele e chegar à superfície. Claro, o sigilo se regenerou em segundos e o Kaiju estava de volta na nossa cola, suas mandíbulas de cinquenta pés se abrindo e fechando enquanto tentava nos capturar. Quando saímos da água, ele pulou da água atrás de nós como um peixe voador. Por um segundo, ficamos com medo de que ele pudesse de fato voar, mas conforme subíamos acima do oceano, alegremente soltamos um suspiro de alívio quando a gravidade o puxou de volta para o abismo.

Fomos menos imprudentes depois disso. Esse Mar dos Kaiju pode ter baixa visibilidade, mas os próprios Kaiju produzem tanta EVE que eles iluminam nossos Eteroscópios como uma árvore de Natal. Nós rastreamos um dos menores perto das águas rasas, o encalhamos e o prendemos. Já fizemos isso algumas vezes, na verdade. Costumamos vender eles para um zoológico20.

Se você realmente precisa de espécimes para pesquisa, podemos arrumar alguns dos menores se você tiver os meios para contê-los, mas é uma missão de idiota tentar estudá-los na natureza. É impossível observá-los secretamente, mesmo que eles não pudessem detectar EVE, seus sentidos não anômalos são tão aguçados quanto os de um tubarão e eles atacarão qualquer coisa no instante em que tomarem conhecimento dela. Eles são enormes, são cruéis, são mágicos e táticas de ataque e fuga são a única coisa que tem alguma chance de derrubá-los, a menos que você seja os Queimadores de Livros, é claro. Ou o Centro Soca Tubarão.21

- Munin, Segundo Imediato do Nautilus, Irmão de Hugin

Dúvida

Embora a existência do Mar dos Kaiju seja inquestionável, a verdadeira origem e natureza dos Kaiju permanecem desconhecidas. As poucas observações que temos dos Kaiju, entretanto, não parecem apoiar as afirmações dos Cinquistas de que eles são seres divinos. Eles são mágicos, sim, mas parecem possuir inteligência totalmente animalesca e instintiva.

Os Cinquistas contestaram isso apontando que, além de EVE, os Kaiju também são conhecidos por emitir radiação akiva, que eles afirmam ser a prova de sua divindade. Isso, no entanto, representa um mal-entendido comum sobre akiva. A radiação akiva não é tanto um produto da divindade quanto é um produto da fé. Akiva, como EVE, é um resultado da percepção consciente. A diferença é que em vez de ser emitida pelo observador, akiva é emitida pelo observado. Qualquer coisa percebida como sagrada emitirá akiva. Quanto mais numerosos são os devotos, e quanto mais virtuosa sua fé, mais forte a akiva se torna. Como tal, a veneração dos Cinquistas pelos Kaiju pode ser suficiente para explicar seus níveis elevados de akiva. Os Kaiju não são 'anjos' mais do que um rosário querido é um anjo.

No entanto, parece ser provável que os Kaiju tenham se originado de um universo Flutuante bem diferente de tudo em nosso ramo, e que o Mar dos Kaiju foi criado quando alguém de seu mundo tentou obter acesso a ele, e o apocalipse subsequente foi causado por sua própria ignorância.

Esses indivíduos provavelmente foram os Carcereiros, com base no testemunho de sobreviventes, evidências recuperadas e seu Modus Operandi geral. Se for esse o caso, há duas lições que devemos tirar disso.

A primeira é que estamos certos em buscar e valorizar o conhecimento do sobrenatural, pois isso nos mantém muito mais seguros do que ficar cutucando por aí cegamente no escuro. A segunda é que não devemos permitir que o medo nos leve a tomar ações precipitadas. Não quero que mais nenhum mundo seja invadido pelos Kaiju, mas também não desejo que nos tornemos como os Carcereiros. Não devemos agir apenas com base no medo. Devemos continuar a aprender sobre essas feras estranhas para mitigar a ameaça, sim, mas também para apreciá-las pelas criaturas verdadeiramente majestosas que são.2223

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License