As Cartas da Comissão dos Carregamentos Anormais
avaliação: +1+x

Dos Mercadores de Jambi

Aos Agentes da Companhia em Bantam

22 de Outubro 1615

Venerável Senhor, nossos gostos em todas as feições respeitosas lembradas, etc.,

Que te agrade entender que no dia 27 de setembro chegamos a Lapata, a um dia de caminhada da água e da foz do Jambe onde o navio foi ancorado, ao que nos questionamos sobre os juncos de Java e buscamos um guia para o local ao qual éramos totalmente ignorantes. Dormimos até de manhã quando o capitão do navio a nós escreveu e disse que, desde a enxurrada do Jambe, não havia como no navio embarcar nem em rio aberto deixá-lo entrar, e como tal deveríamos marchar por dois dias ao local onde o carregamento de Seu Venerável Senhor pode ser adquirida e devolvida dois dias depois ao navio. Fizemos isso com toda a conveniência e encontramo-nos com o vendedor, um holandês chamado Iojann. Iojann parecia altamente feliz por se livrar do carregamento e quase deixou nosso contrato sem ser pago.

No momento em que esta carta o encontra, estou na expectativa de minha chegada ao Forte St. David dentro de uma quinzena e a Londres no final do ano. Tal como agora, permaneço seu humilde e obediente,

Othaniel Trower
Agente e Delegado da Companhia
Os Mercadores de Jambi

A Honorável Companhia das Índias Orientais

Destacamento do Manifesto Nº C-154919

Data: 21 de Outubro de 1615

Embarcação: O Bom Navio Tristanna

Armazenagem: O carregamento deve ser mantido no lazareto, em caixa de madeira do material mais grosso, e preso ao piso e ao casco por corrente de ferro. Nenhum tripulante, contramestre ou inferior, deve ser permitido a entrar no lazareto até que este carregamento seja entregue. Se por desventura ou negligência um tripulante entrar, lá ele deve permanecer até expirar.

Descrição: Um (1) bezerro; órfão ou pequenote de uma fera com escassa força para ficar de pé ou se mover, caso seja removido de dentro (O que, novamente, NÃO deve acontecer). Esta é verdadeiramente uma criatura desagradável aos olhos de Deus, exceto ao por do sol. Adiante, e não sei como, a criatura dentro se torna outra coisa. Sua voz torna-se a de um homem sabido, falando de forma educada, buscando a libertação de sua prisão de madeira e ferro e oferecendo riquezas e sabedoria entre outras coisas de valor em troca. A caixa lentamente fica em silêncio ao longo da hora se não for perturbada.

anotação rabiscada na margem.

23 de Outubro
Padre Leigham convenceu o Primeiro Oficial a deixá-lo entrar no Lazareto para rezar. Eles estão com Deus agora, e eu não [a nota termina]

"Então era um SCP," disse Dr.ª Werner, abaixando o tablet.

Seu companheiro sacudiu a cabeça. "Não, não era. Tais designações não existiam na época. Ele era simplesmente um carregamento anormal. Isso é, até a noite de 23 de outubro de 1615. Algo aconteceu a bordo daquele navio e os poucos oficiais que sobreviveram embarcaram em um bote salva-vidas e foram embora, deixando o bom navio Tristanna afundar até o fundo do Oceano índico."

"Uma boa história e bem contada," disse Waner, tomando um gole de café e recostando-se na cadeira. "Me perdoe ser franco, mas não consigo ver a relevância do objeto agora. A menos que a vaca ainda esteja ativa?"

Ele sacudiu a cabeça. "Não, não está. Mas ainda não chegamos lá. Por favor, continue."

Do Porto de Leole

Ao Venerável George Barckley, Agente da Nação Inglesa em Bantam

26 de Março de 1617

Venerável Senhor, meu Dever em Mente, etc.,

Enquanto anteriormente a mim você escreveu pelo servo de Lorde [indistinguível] para a ele oferecer a compra de duzentas ou trezentas tábuas de seu mestre, eu fiz uma barganha de 38 riais por centena.

Enquanto isso, observei digno de nota um homem que falou de Bantam e a mim pediu que por ele oferecesse enviar suas considerações; ele afirma ser um homem outrora da Companhia, cujo navio se perdeu no mar há cerca de dois anos; ele implora que suas observações sejam compartilhadas com Othaniel Troque que, ele insiste, serve em Bantam em sua residência, pelo nome de Arham Whitters.

Ao seu Comando,
Heinhurst, L.
Delegado do Porto em Leole

A resposta está escrita às pressas no verso.

2 de Abril de 1617
Capitão:
Respondo com cortesia em nome da Residência do Venerável Lorde Barckley sobre este assunto.
O homem que afirma ser Arham Whitters não é de confiança. Se esta carta antes de mim chegar, você deve matá-lo imediatamente.
Othaniel Trower


Do Delegado do Comitê de Investigação da Companhia das Índias Orientais

Ao Venerável George Barckley, Agente da Nação Inglesa em Bantam

12 de Abril de 1617

Venerável Senhor, nossos gostos em todas as afeições respeitosas lembradas, etc.,

Conforme o temido, à minha chegada ao solo do porto, o fedor da morte estava forte no ar. Quando meus tripulantes deixaram o navio—ou melhor, quando aqueles que ousaram fazê-lo deixaram o navio, o ar estava frio e calmo, mas nossos corações trovejavam em protesto contra o que iríamos descobrir.

A ti pouparei os detalhes, mas cada homem, mulher e criança no Porto de Leole está listado como uma baixa no relatório anexo de nossa pesquisa, incluindo Liam Heinhurst, cuja reputação como seu bom e fiel servo é indiscutível.

Durante a conclusão de nossa pesquisa, que levou vários dias, um bom tripulando chamado Danfield ficou fortemente aflito e tentou assumir o comando do navio Rhiannon Bay na manhã do dia 8, parado mais abaixo no porto, mas foi capturado por guardas e alojado no brigue, onde seus uivos por liberdade, comida e piedade não podiam ser cessados.

Ao fim da tarde, tive a grande infelicidade de descobrir o corpo do falecido Danfield, que aparentemente tirara a própria vida alguns dias antes; mas como seus uivos do Rhiannon Bay ainda eram incessantes, reconheci a fera pelo que era. O sol estava quase a se por no horizonte, e ordenei que levassem correntes e um baú de carga ao Rhiannon Bay, onde forçamos o enfurecido Danfield a entrar no baú, o qual trancamos e prendemos com ferro. Colocamos o navio à tona no porto e ordenei que ele fosse vigiado durante a noite em turnos rotativos. Pela manhã, voltamos a embarcar o Rhiannon Bay, recuperamos o baú e o prendemos abaixo do convés.

Enquanto escrevo isso, Venerável Senhor, ouço o choro abaixo novamente, mas ele não é de Danfield. Ele é o de uma jovem, implorando pela libertação de sua prisão. Os homens estacionados abaixo colocaram cera em seus ouvidos para abafar seus gritos, e estão sob ordens estritas de matar qualquer homem que tente libertar o que estiver naquela caixa. Sua vigilância é primordial para a criatura encontrar seu destino.

Permaneço, como sempre, seu humilde e obediente,

Othaniel Trower
Delegado
Comitê de Investigações (Além-Fronteiras)

"Danfield era a vaca SCP?" Warner sacudiu a cabeça, tomando outro gole de café. Ele tinha esfriado.

"Danfield era a criatura, sim—e depois de algum debate considerável em Londres, tenho certeza, foi decidido que a criatura, que não podia ser morta por meios convencionais, deveria ser confinada. E ela foi. Enquanto isso," o homem estendeu a mão e passou o dedo para a frente no tablet, deslizando para o próximo conjunto de documentos, "Trower foi saudado internamente como um grande agente para a Companhia das Índias Orientais, tendo recuperado bens valiosos e prevenido ainda mais catástrofes nas mãos de criaturas ímpias do inferno."

"Compreensível. O que ele ganhou, um prêmio? Ações da Companhia das Índias Orientais?"

"Sim," disse o homem, abrindo o primeiro documento na página seguinte. "e também: Uma Comissão."

O Mais Venerável Maurice Abbott, Governador-Geral da Companhia das Índias Orientais, Lorde-Prefeito de Londres, pela autoridade de Jaime I, Rei da Grã-Bretanha, França e Irlanda, Defensor da Fé, etc., concede esta minha Comissão de Governador ao LORDE OTHANIEL TROWER, para liderar e dirigir esta Mais Honorável Comissão dos Carregamentos Anormais, e orientá-lo a desempenhar os deveres do referido cargo conforme necessário para apoiar a Honorável Companhia das Índias Orientais, e conceder-lhe os direitos, privilégios e honras em todos os lugares sob o governo de Sua Majestade e outros lugares que possam ter direito a tais honras, assinado neste Sétimo Dia de Setembro, no Décimo Sétimo Ano do Reinado de Sua Majestade.

Do Delegado M.H. Comissário da Comissão dos Carregamentos Anormais

Aos Agentes da Companhia em Bantam

11 de Outubro de 1623

Veneráveis Senhores, nossos gostos em todas as afeições respeitosas lembradas, etc.,

É com o mais profundo orgulho que aceito a graciosa comissão do Mais Venerável para servir no Comitê assim declarado em sua carta, embora por assuntos diversos e difíceis seja impossível recebê-la em pessoa. Como está, minhas funções que este comitê assumirá não são suspensas por atraso em seus cuidados.

Foi-me informado de que o comitê supervisionará todos os três carregamentos anormais que aqui estão alojados. Além disso, é minha intenção que à medida que as necessidades desta Honorável e Real companhia cresçam com o povo das Índias Orientais, é sem dúvida que podemos de fato recuperar mais.

A este respeito, receio que devo divagar um pouco; este terceiro carregamento é de tamanha peculiaridade; nenhuma caixa ou corrente consegue contê-lo e, como tal, usamos despesas consideráveis para ter certeza de que o mesmo já não mais cruzará os ventos de nossos navios nem ameaçará os comerciantes ou ativos sob nossas bandeiras.

Permaneço como sempre, seu humilde e obediente,

M. H. Othaniel Trower

A M. H. Comissão dos Carregamentos Anormais

A Honorável Companhia das Índias Orientais

Manifesto

Autorizado pelo Conselho de Regentes da referida Comissão

Relatório Nº 002

Armazenagem: O carregamento deve ser mantido em buraco de pedra de dois pés com profundidade de dez pés, bordeado com um anel de óleo de lamparina. Se o carregamento tentar escapar desse buraco, o óleo deve ser aceso, o calor e a luz devem dominá-lo, e varas de bambu devem ser usadas para empurrá-lo de volta para dentro.

Eles devem ser alimentados; eles são rápidos em consumir comida estragada, embora isso os deixe doentes e quietos, mas não os mata, como tal, qualquer comida estragada deve ser dada a eles para que eles fiquem mais dóceis.

Anotação na margem: Caso eles passem pelo fogo, eles podem ser atraídos com carne rançosa, apanhados com um balde e devolvidos ao buraco. NÃO toque neles com sua carne!

Descrição do Carregamento

O carregamento é de quatro coelhos, dois brancos e dois marrons. Eles não dormem nem envelhecem e fragilizam como coelhos; a mim foi dito que estes têm quase 50 anos de idade. O problema torna-se profundamente particular quando eles não estão presos, pois eles irão a procurar comida e comê-la com uma natureza voraz jamais vista na fauna do reino de Deus. Eles comem qualquer coisa que encontram; eles foram descobertos a bordo de um navio abandonado da Companhia que, após investigação, teve seus estoques de alimentos esvaziados e esteve flutuando por sete dias sem tripulação. A tripulação descobridora acredita que os coelhos podem ter comido a tripulação anterior, visto que todos estão desaparecidos.

Atestado: Othaniel Trower, Comissário

Anotação na margem: Estou disposto a acreditar nisso, dado como os coelhos reagem quando

[fim da página]

"E esse grupo precedeu a Fundação?" disse Warner, mexendo seu café frio com um lápis.

"Em algum tempo. A Companhia das Índias Orientais era uma entidade comercial, nada mais. A Comissão supervisionava todas as coisas que estavam além dos meios humanos normais de conter. Algumas delas não eram realmente anômalas…disso nós sabemos. Mas algumas delas eram. E esta…esta foi a primeira forma coordenada, financiada e planejada de contê-las."

"E ninguém sabia disso?" Warner franziu a testa. "Depois de todo esse tempo?"

Ele riu. "Esta é a empresa cujo principal órgão de governo fora de Londres se chamava Comitê Secreto, que todos conheciam. Mas não, depois de alguns anos a Comissão começou a cobrir seus próprios rastros, removendo papelada e mantendo-se bastante quieta, até que…"

Ela se inclinou para frente, sorrindo apesar de seus esforços com o senso de drama do homem. "Até que?"

Do Comissário e Regentes da M. H. Comissão dos Carregamentos Anormais

A Honorável Companhia das Índias Orientais

Ao Mais Venerável John Gayer, Governador de Bombay e Presidente do Comitê Secreto da Companhia das Índias Orientais

21 de Outubro de 1648

Mais Venerável Senhor, nossos gostos em todas as afeições respeitosas lembradas, etc.,

Recebi sua correspondência relacionada a essa forma de atos contra nossa Honorável Companhia, e sua ordem para usar a Comissão e seus Carregamentos Anormais nos próximos conflitos,

Nós respeitosamente recusamos.

M. H. Othaniel Trower
Comissário

Do Comissário e Regentes da M. H. Comissão dos Carregamentos Anormais

A Honorável Companhia das Índias Orientais

Ao Mais Venerável Governador-Geral e Tribunal de Diretores da Honorável Companhia das Índias Orientais

2 de Janeiro de 1649

Veneráveis e Mais Veneráveis Senhores, nossos gostos em todas as afeições respeitosas lembradas, etc.,

Recebi sua correspondência. Suas ameaças são do mais alto desrespeito ao seu caráter e ao dos leais membros desta Comissão, cujos deveres que devemos a Deus e à humanidade são claros em propósito.

Nós respeitosamente recusamos.

M. H. Othaniel Trower
Comissário

Do Comissário da M. H. Comissão dos Carregamentos Anormais

A Honorável Companhia das Índias Orientais

Ao Mais Venerável Governador-Geral e Tribunal de Diretores da Honorável Companhia das Índias Orientais

31 de Janeiro de 1649

Veneráveis e Mais Veneráveis Senhores, nossos gostos em todas as afeições respeitosas lembradas, etc.,

Se vocês estão a ler esta carta, vocês sabem perfeitamente que a Comissão se realocou. Neste momento, não oferecemos a vocês mais fidelidade. Em breve desapareceremos de seus registros e é improvável que vocês recebam mais notícias nossas.

Othaniel Trower
Comissário

"Eles queriam usar os objetos anômalos para guerras? Tipo…guerras normais, de pessoa a pessoa?" Warner revirou os olhos. "Incrível."

"O que é tão pungente aqui é que Trower recusou," respondeu o homem, "Ele, assim como os supervisores da Fundação, achou de incrível importância que esses objetos anômalos não fossem envolvidos nos caprichos de política mesquinha. Mas a Companhia das índias Orientais não aprovou disso."

Warner abaixou o tablet. "Então o que aconteceu?"

"A Comissão despareceu. A Companhia das Índias Orientais não teve notícias deles por um longo tempo e, como prometido, os arquivos da Comissão desapareceram da papelada, e foi difícil até mesmo determinar quem havia sido empregado com eles. Essa foi a última vez que se ouviu de Trower, até…bem. Isso." Ele apontou para o último documento na página.

Da Comissão dos Carregamentos Anormais, em [local ilegível]

Ao Secretário do Parlamento do Reino Unido, Westminster Hall

Caro Senhor:

Com a aprovação da Lei de 36 Victoria c 17, 15 de Maio de 1873 (Lei de Resgate de Dividendos de Ações das Índias Orientais) Segue anexo um certificado de resgato completo para essas ações garantidas.
Como sempre, seu humilde e obediente,

Othaniel Trower
Comissário

Warner olhou, boquiaberto, para o papel. "1873? Ele teria sido—"

"Bem velho, sim. Mas aqui está o interessante, Dr. Werner. Ocasionalmente nos deparamos com um relatório de contenção—um Manifesto de Carregamento Anormal—datado do século 17 até meados do século 19. Alguns deles batem com SCPs no sistema. Alguns não. Mas alguns mencionam a instalação principal da Comissão de Carregamentos Anormais. Mas onde quer que ela esteja, ela não foi encontrada. Ainda."

Werner colocou o tablet na mesa. "Você está falando do quê? Dezenas de SCPs?"

"Centenas," respondeu o homem, pegando o tablet e devolvendo-o à sua bolsa. "Cuidadosamente adquiridos, reunidos e contidos pela Comissão. Mas veja, ela permaneceu perdida por um motivo—ela só pode ser localizada por alguém que saiba de sua existência.

"Proteção por risco por informação?" Werner esfregou sua têmpora com um dedo. "Tá bem. Cara. Hum…" werner abriu uma gaveta para localizar um comprimido para enxaqueca, mas ela não conseguiu encontrar um. "Senhor…hum." O homem se levantou. Ela fechou a gaveta. "Calma. Como você sabe sobre a Comissão, então? E por que você está me contando? E…" Ela sentiu uma conclusão nascente. "E quem é você? E como você entrou aqui? E como eu—"

Mas ele já tinha sumido. A porta do escritório estava fechada. Trancada, até. Ela estivera sozinha há horas. Tudo estava normal.

Exceto por uma única nota em sua mesa.

Tremendo, ela a pegou.

Espero que você a encontre.

O.


Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License