Debaixo da Mesa
avaliação: 0+x

Ato II - Cena IV

Interior do Sítio-96. O palco está bastante esparso, com uma porta à frente à esquerda, e uma grande mesa de madeira com um espaço oco embaixo dela dentro da sala implicada da porta. O palco está mal iluminado, com um holofote seguindo Dana e jazz, que estão se esgueirando silenciosamente. Cada um está segurando uma lanterna ligada e vestindo roupas cinzas confortáveis.

JAZZ
(sussurrando)
Você tem certeza de que ele está aqui em cima?

DANA
(sussurrando)
Não, mas eu sei que ele foi transferido para uma nova sala. Só não tenho certeza de qual, ou mesmo de qual andar.

JAZZ
(sussurrando)
Bem, não podemos ficar aqui a noite toda, os guardas eventualmente vão subir aqui.

DANA
(sussurrando)
Eu sei que os guardas estão um andar abaixo de nós agora, e essa é a principal base de operações, então tem muito terreno a cobrir. Além disso, tem álcool, se eles não mudaram a rotação, isso significa que Boris é o líder da patrulha esta noite. Eu sempre encontro tipo, meio garrafa de gim faltando quando eu entro nos sábados e quintas.

JAZZ
(sussurrando)
Você realmente refletiu sobre tudo isso, não é?

DANA
(sussurrando)
Bem, eu não quero exatamente ser pego. Mesmo se formos funcionários, quebrar o confinamento é uma ofensa muito séria, uma da qual não sei se Michael seria capaz de nos salvar.

JAZZ
(sussurrando)
Sim, acho que você tem razão.


Os dois caminham pelo corredor, em direção e passando pela porta.

NARRADOR
Enquanto Boris e Landa estavam sentados no bar, bebendo a noite toda, eles estavam em perfeita felicidade. Mas o que eles não podiam saber é que algo estava escondido nas sombras acima. Pois no andar logo acima deles estava-

DANA
(frenético e apavorado)
Meu marido e eu estamos em uma fase difícil! Meu marido e eu atingimos uma espécie de… uhh… lugar rochoso em nosso casamento e eu tenho… dormido no sofá no andar de baixo nos últimos dias!

NARRADOR

JAZZ
(desajeitada)

DANA
(desajeitado)
Sim, uma coisa totalmente normal para eu trazer à tona, e eu continuarei enquanto a noite segue, não se preocupe!

JAZZ
(desajeitada)
Dana… Eu…

NARRADOR
Boris e Landa começaram a subir as escadas, preocupados com o que poderiam encontrar. Teria lá algo? Estaria o narrador fazendo jogos mentais para se divertir um pouco? Não havia como saber.

DANA
Ah merda! Aqui!


Dana acena para que Jazz se esconda embaixo da mesa. Eles se amontoam embaixo dela, quase não cabendo.

DANA
(sussurrando)
Certo, devemos ficar bem aqui.

JAZZ
(sussurrando)
Dana, o que foi isso? A coisa toda com seu marido? Quero dizer, fico feliz em ouvir, obviamente, mas parecia um pouco… fora do lugar?

DANA
(suspirando)
Desculpe…. isso é minha… é a coisa que as Vespas não vão falar sobre. Meu, uhh… casamento.

JAZZ
(sussurrando)
Oh…

DANA
(sussurrando)
Sim… mas, ei, não se preocupe, está tudo bem. Nada em que você tenha que pensar muito seriamente.

JAZZ
(sussurrando)
Vocês vão ficar bem?

DANA
(sussurrando)
Sim, definitivamente…

JAZZ

DANA
(suspirando, olhando para baixo)
Eu não sei.

JAZZ
(hesitantemente colocando o braço no ombro de Dana)
Ei, está tudo bem, está tudo bem. Quer falar sobre isso?

DANA
(sussurrando)
Eu não… eu não sei.

JAZZ
(sussurrando)
Bem, o que aconteceu para causar isso? Apenas um sentimento geral, ou algo específico?

DANA
(sussurrando)
Algo… específico. Algo… relacionado ao meu trabalho aqui.

JAZZ
(sussurrando)
Ah… ah.

DANA
(sussurrando)
Sim… desde aquele negócio com os Classe-D veio à tona… quero dizer, ele já estava um pouco irritado por descobrir que eu não trabalhava em um laboratório, mas isso meio que o levou ao limite. Ele não…


Dana começa a chorar.

DANA
(chorando baixinho)
Ele acha que não pode mais confiar em mim.

JAZZ
(simpatizante)
Ei, ei, tudo bem. Tudo bem, sabe? Isso está fadado a acontecer com um trabalho como esse. Será apenas uma questão de tempo até que as coisas voltem ao normal.

DANA
(enxugando as lágrimas)
Sim… não, você está certa, e mais… eu não acho que vamos nos divorciar, só é… bem difícil… agora. Eu acho… Eu acho que posso ter investido tanto nessa "missão" toda porque eu só preciso de algo para tirar minha cabeça das coisas, sabe?

JAZZ
(simpatizante)
É claro…


Jazz se senta, confortando Dana silenciosamente enquanto ele seca os olhos e recupera a compostura. Eles ficam sentados de forma desajeitada, ainda embaixo da mesa, por um breve período.

JAZZ
(silenciosamente)
O meu também é sobre o meu relacionamento…

DANA
(sussurrando)
Huh?

JAZZ
(pigarreando)
Desculpe, meu… meu negócio das vespas também é… sobre meu relacionamento. É… m… meu namorado, Brimley.

DANA
(preocupado)
O que tem ele?

JAZZ
(sussurrando)
Eu não… Eu realmente não sei. Eu não sei, é só que… algo está errado, e eu não consigo dizer se é ele ou eu.

DANA
(sussurrando)
Bem, tipo, me dê um exemplo?

JAZZ
(sussurrando)
Quero dizer, ele não parece estar super interessado em nosso relacionamento, mas ele ainda tipo… me ama… mas eu não sei… se eu amo ele? E eu me sinto uma cuzona por isso…

DANA
(sussurrando)
Você não é uma pessoa ruim por não ter sentimentos por alguém… Quando você começou a perceber isso?

JAZZ
(sussurrando)
Quero dizer, mais ou menos por um tempo, mas…. Acho que depois dele não ter pago minha fiança, isso meio que solidificou as coisas para mim.

DANA
(preocupado)
Calma, era pra ele ter pago?

JAZZ
(sussurrando)
Sim, eu liguei para ele na noite antes de você me pegar e disse que precisava da ajuda dele, mas ele meio que… me ignorou. Na defesa dele, porém, eu acho que ele andou bebendo.

DANA
(preocupado)
Como isso é na defesa dele, se for qualquer coisa isso é pior.

JAZZ
(sussurrando)
Não sei, ele é jovem, ele pode sair para beber com os amiguinhos. Apenas pareceu… que doeu. Mas quero dizer, ele normalmente é bem legal, é o problema. Quando eu estava tão arrasada com a história da Coreia do Norte, ele me convenceu a parar de ficar triste e me levou para comprar tacos.

DANA
(sussurrando)
Tacos são sua comida favorita ou algo assim?

JAZZ
(sussurrando)
Não, são a dele… ele estava com vontade de ir e eu tentei fazer com que ele ficasse em casa comigo, mas ele me convenceu a ir comprá-los com ele…

DANA

JAZZ
(sussurrando)
Isso soa bem ruim quando digo isso em voz alta.

DANA
(sussurrando)
Jazz, você… tem dificuldade em dizer não para ele?

JAZZ
(sussurrando)
Quero dizer… não… eu…

DANA
(sussurrando)
Você tem que ser mais assertiva. Esse cara parece que… que ele está te fodendo, sabe? Ele faz com que você faça o que ele quer, e não devolve isso pra você.

JAZZ
(sussurrando)
Nosso relacionamento só tem uma… dinâmica diferente, eu acho…

DANA
(sussurrando)
Você está feliz?

JAZZ
(sussurrando)
… bem, quero dizer, isso é meio que uma… pergunta carregada, eu realmente não.. veja…

DANA
(sussurrando)
Me diga a verdade. De coração a coração, eu derramei minhas tripas, você derrame as suas. Há quanto tempo você queria terminar?

JAZZ

DANA

JAZZ
(sussurrando)
Quase um mês.

DANA
(sussurrando)
Jazz… você tem que fazer isso. Você deve isso a si mesma, você é… você é uma pessoa maravilhosa e se ficar sozinha vai te deixar mais feliz do que estar com o Brimley, você precisa dizer isso a ele. Firmemente.

JAZZ
(sussurrando)
Sim…


O par fica em silêncio mais uma vez, ambos imersos em pensamentos. De repente, o som de vozes é audível da esquerda do palco. Dois seguranças, Boris e Landa, entram segurando lanternas. Dana acena para Jazz para ficar em silêncio.

BORIS
Olha cara, tenho quase certeza que as Vespas estavam apenas brincando com a gente, tem nada aqui em cima além daquele robô estranho.

LANDA
Ainda deveríamos procurar em todos os lugares, só pra ter certeza, Quero dizer, não precisamos de mais merdas neste sítio, acho que o pessoal do turno diurno já fez isso o suficiente.

BORIS
Qualé, nós já teríamos encontrado algo a essa altura, além disso, não houve um anúncio desde que começamos a procurar.

LANDA
Suponho que seja verdade…

BORIS
Vamos descer novamente, esse andar está vazio. Certo?

LANDA
Ah… Entendo o que você está dizendo.
(alta e sugestivamente)
Tudo bem! Estamos descendo as escadas agora! Espero que ninguém tente se esgueirar depois de sairmos, o que estamos fazendo agora!

BORIS
(confuso)
Que porra você está… nós estamos realmente saindo sua idiota. Isso não é uma armação- o que diabos tem de errado com você?

LANDA
Ah… desculpe.

BORIS
(saindo do palco)
Idiota do caralho…


Boris sai do palco, com Landa logo atrás. Dana lentamente sai de debaixo da mesa, seguido por Jazz.

JAZZ
Caramba, essa foi de raspão, hein?

DANA
Jazz… obrigado por me ouvir antes. E… espero que você siga meu conselho.

JAZZ
(desajeitada)
Sim… sim, definitivamente. Mas agora… podemos ignorar tudo isso? Estou em um lugar muito estranho emocionalmente agora.

DANA
(desajeitado)
Sim, claro, sim.

JAZZ
(desajeitada)
Legal… obrigada…

DANA
Bem, pelo menos sabemos de uma coisa.

JAZZ
Do que?

DANA
Boris mencionou ter encontrado um "robô estranho" e tenho certeza que ele se referia ao Crystal-INE, então pelo menos sabemos que ele está aqui em cima.

JAZZ
Uau, você é um ouvinte chocantemente bom.

DANA
Obrigado. Agora, sem mais delongas, vamos encontrar aquele robô estranho.


Dana faz uma pose incrivelmente idiota de "postura de vitória", da qual Jazz ri e revira os olhos. Apagão.
Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License